Pesquisando

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Poesias Nada Convencionais - Neurose Afetiva Sistemática

[originalmente escrita em 17:21 1/7/2008]

NEUROSE AFETIVA SISTEMÁTICA

Nunca sei o que quero, nunca sei quando te quero
Deveria ser mais ordenado, deveria ser mais arrumado
Nunca sei quando você me quer, nunca sei quando você terá
Deveria ser menos perfeito, deveria ser menos segredo
(Só assim teria certeza que está tudo certo quando tudo dá errado.)

Viver a margem sempre foi meu limite
Nunca coloquei a cabeça para fora da bolha pra não pegar ar demais
Quando o fiz, água entrou pelo nariz
Encheu meus sonhos e de água o meu coração
Ele vive boiando a deriva esperando alguém terminar
Terminar de afundar com uma pedra amarrada nele
Ou talvez alguém salvá-lo de um possível afogamento

Neurose afetiva sistemática, isso eu sempre tive
Nunca sei quando te quero, nunca sei quando você me quer
Deveria ser mais errado do que certo, só que está ao contrário
Nunca sei se isso assusta ou se me dá esperança
(Sempre tive a certeza que está tudo certo quando tudo está errado.)

Nunca sei se você vai me aguentar por muito tempo
Não sei se daqui a alguns anos serei só pensamento
Nunca saberei o quanto signifiquei para você
Nunca saberei como é me sentir verdadeiramente bem
(Sempre tive a certeza que está tudo errado quando deveria estar certo.)