Pesquisando

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Poesias Nada Convencionais - O Meu

[originalmente escrita em 14:04 17/9/2007]

O MEU
Se alguém me avisasse de antemão (e com certeza alguem o fez)
Eu teria largado minhas lágrimas no deserto
Esperaria para ter esse futuro incerto
Quando finalmente tivesse tua atenção

Tem jeito pra tudo, sem vontade pra nada
Ter coragem é o que mais me falta
Onde a dor começa é onde o amor acaba
Vira pó e varremos pra algum canto da sala

Se eu soubesse que seria assim
Assim como tudo nessa vida tem fim
O meu sequer começou
O seu sequer existiu
O meu não queria ser inocente
O seu queria estar ausente
E assim se foi, o trágico fim.

Se eu soubesse, não sonharia tanto
Não desperdiçaria noites em pranto
Não juraria cruzar meu coração novamente
Não teria medo de ter algo felizmente
Não teria tanto medo de sonhar
E essa tarefa se torna cada vez mais penosa
Quando eu sei que talvez vc possa adivinhar
Quando eu quero sonhar contigo, me sufoca

E vai ter aquele dia em que vou esquecer
Mesmo parte do meu coração não querendo esquecer
Parte do meu corpo ainda sofrendo por te querer
Meu português falhando por versar sem ver
E se eu soubesse de antemão (E com certeza alguém já me avisou)
Eu não sofreria tanto por uma simples razão

O meu sequer começou
O seu sequer existiu
O meu não queria ser inocente
O seu queria estar ausente
E assim se foi, o trágico fim.