Pesquisando

domingo, 10 de novembro de 2013

[sonho estranhos com detalhes] os dentes, as fotos, os guarda-roupas e a melíade

Às vezes ter uma melíade como guia inspiradora durante toda sua vida é um bocado complicado, o motivo: ela dá avisos estranhos em horários mais estranhos ainda quando eventos estranhos acontecem.

A coincidência toda faz parte do pacotão de maluquices que esta escriba não desvenda muito para muitas pessoas, mas acaba se tornando comum quando acontece. Hoje Morfeu decidiu atacar logo no meio da tarde, me fazendo cair literalmente de sono no teclado do Major Tom, me arrastar o mais rápido possível para a cama e dormitar lá até alguns minutos atrás. Se segue o sonho maluco e com detalhes a seguir:




Estou na minha antiga casa no 43 de uma rua lá do bairro na roça de Betinópolis, só que na casa ao lado, minha mãe morando lá em uma casa cheia de closets e guarda-roupas (Vamos pra Nárnia?!), muita mobília velhaca pelos cantos e fotos de pessoas que não conheço all over.

Eis que aparece a melíade citada, justamente no disfarce que mais amo e mais me tenta a perguntar coisas indevidas para o horário e me diz que precisa conversar rapidinho comigo. Eu, na minha babaquice costumeira, pergunto onde está minha mãe e se os guarda-roupas precisam ter as portas consertadas (Alguns estavam lascados, velhos de uso, sem porta e talz), aí ela simplesmente me puxa e fala:
" - Ouvi hoje de madrugada que tal pessoa ama o 1º, mas por você é só hunger." - e ela falou isso em inglês, francês e português misturando tudo e com sotaque. Como te amo linguisticamente nesse aspecto Lenore, não dá pra entender recados multifônicos se não há legenda!

E eu continuei na minha babaquice e devolvi:
" - Mas eu já sei." - sei de nada, só tou testando mesmo se é sobre a mesma coisa que falamos.

Ela me olhou com aquela cara de "Oh srsly bitch? Vai me enganar?" e pediu para eu segurar alguns dentes (???) enquanto ela procurava por algo dentro dos guarda-roupas (Nárnia? Cê vai pra Nárnia Lenorezilda, cê vai hein? Deixa eu ir cocê?), aí percebi que os dentes (Que tavam mais parecidos com pedaços de feijão descascado e secos) eram meus (!!!) e que os meus caninos estavam desabando lentamente. Arranquei um na maior naturalidade e coloquei junto com o montinho de outros dentes (Que obviamente deveriam ser meus).

Aí do nada, assim DO NADA, aparece duas pessoas que gosto muito, entrando pelo portão da casa vizinha (Que seria a minha casa, mas como estou na casa ao lado e não na minha, aaaaaaah deu pra entender!!) e quando cumprimento elas passam batido e ainda debocham da minha cara. Yey! Eu, na minha babaquice de sempre, chamo reforços né?



A melíade volta com algumas coisas do guarda-roupa e me olha com a cara mais fofa e diz que tudo vai ficar bem se eu não incomodar as tais pessoas por enquanto. Eu, wtf is this?, concordo e em senso de urgência jogo os dentes em uma parte do chão (Sem antes perceber que busquei uma camiseta verde para cobrir o chão em que joguei) e espero algo. Aí vem uma ideia absurda de procurar fotos e tem uma em particular de quando eu era ruiva e parecia ser numa escola, atrás de mim havia um quadro verde rabiscado com fórmulas esquisitas com giz branco (E guess what? Eu lembro de feito algo parecido com aquilo em um sonho há um tempinho atrás, creepy, srsly creepy!) e parecia só ter as fotos da escola.

A minha cabeça queria fazer um padrão, mas não batia com nada mesmo, então resolvi soltar o verbo e quando inquiri a melíade sobre WTF is going on que eu nunca entendo quando você aparece nos meus sonhos e me dá recado e parece que é nonsense do começo ao fim? então uma das pessoas que citei lá em cima da casa vizinha apareceu (A que tinha simplesmente "Talk to my hand, cause the face doesn't wanna talk anymore") e se dirigiu a Lenorezinha sobre algum assunto em particular (Não entendi nada, tava era querendo o chão abrisse em um buraco e me levasse logo pela quantidade de desprezo sentida ali) e a linda começou mó papo com a pessoa.

Sem entender nada, consciente de ser um sonho e já um pouco fula (e com fome), dei tchauzinho pra melíade, sentei em uma poltrona velha ali da casa e esperei o sono me chamar de volta.
Acordo na minha cama com o "recadinho" bem fresco na mente.

Okay, se era pra dar recado, já deu.
Quero meus dentes de volta, pretty plz?