Pesquisando

domingo, 9 de fevereiro de 2014

[interlúdio] recado a alguém em particular

Gosto de ser otimista em certas ocasiões, quando se precisa dar uma palavra amiga para poder elevar os pensamentos da pessoa que está escutando/lendo. Isso me parece certo, me parece digno de fazer, não me custa nada.

Mas às vezes eu costumo praticar alteridade demais.

Me coloco nos pés das 3th parties envolvidas em processos, gosto de pensar como elas reagiriam com certas notícias, como suportariam as consequências de certos atos, como seriam após a avalanche de mudanças tão radicais efetuadas por uma pessoa que não necessariamente tem controle da vida dessa pessoas, mas que são fundamentais para a continuação de suas vidas.

Então ao me recolher ao silêncio dessas questões, o de perguntar: "Será que é assim que o Universo quer que aconteça? Será que é assim que o karma será dissolvido? Será que se fosse eu, eu sobreviveria se alguém escolhesse o meu destino por mim?"

A resposta sempre será uma incógnita.

Me colocar nos sapatos dos outros nunca foi meu mote - aliás a última vez que fiz isso me meti em uma roubada linda - mas às vezes, às vezes quando há uma situação em particular, não há como não pensar como será a reação da pessoa que mal sabe que terá sua vida transformada em poucas palavras, poucos minutos, um último ultimato, uma sina solitária de cura para seguir. Aí eu lembro que eu sou eu, e já sofri disso. Não preciso me colocar nos sapatos de ninguém, porque já usei esses calçados por muito tempo e é dolorido tentar emanar qualquer palavra amiga, sustentável, gentil para os perpetuadores de destinos.

The thing is: você vai conseguir passar dessa, camarada. Querendo ou não, você vai superar. Se a vida não te fritar mais ainda, você vai ter a percepção que tudo é possível se você der o primeiro passo na trilha. Sei que palavras amigas não vão adiantar, abandonar rotinas, criar hábitos, fugir de lembranças, ter noites mal dormidas, sonhar com tudo que você planejava e acordar sem nenhum tipo de dica se aquilo foi só ilusão ou apenas uma ambição mais apurada, nada disso vai adiantar. Só sei que enquanto o Amor prevalecer - mesmo ferido, maltratado, revoltado, indiferente, disfarçado, maquiado, escondido atrás de palavras de consolo amigo não irão te Despertar.

Então camarada, Acorde. Já é tua hora, já é o teu rumo na estrada de sempre. Acorde e viva um dia de cada vez, infelizmente terá que ser assim por um bom tempo, até você arranjar uma nova distração para teus sentimentos, um silêncio pra tua mente, um estado de tranquilidade que você jamais sentirá novamente. Apenas acorde, porque os teus planos anteriores não foram anulados, apenas reajustados na data e abordagem. Se algum dia tiver que acontecer, acontecerá.

Mas se teu coração tá dizendo que a dor está comandando mais o teu peito que tua cabeça, apenas deixe ir. Desapegue. Abaixe o escudo, ouça o que a dor te diz e viva. O mundo não irá parar de girar com os obstáculos que ocorreram, com as predições que foram estabelecidas, com a vaga promessa de um futuro com cerquinha de tábuas brancas, um jardim nos fundos e alguém para poder compartilhar TUDO em sua vida (Alguém que você deliberadamente deixou entrar em sua vida sem pedir nada em troca).

Não, arranjar outras pessoas não irá ajudar muito na tua vida agora, apenas se concentre no Eu. Apenas se vire para dentro e reflita: valeu a pena tanto tempo investido?

Pra isso eu tenho resposta: vale cada segundo, mesmo que não dê em nada no final das contas.

Fica de Bowie, dude. E deixa as mudanças que você não preparou para si mesmo moldarem teu couro. Isso tudo será recompensado algum dia. Oh sim, fazer 23 anos não é um evento que se comemore todos os dias, meus parabéns!