Pesquisando

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

#eunaBiblio - estantes arrumadas

Finalmente finalizando (???) a organização de estantes por gênero/whatever que o povo da Linguística gosta de taxar, mas que curiosamente o povo da Biblio esqueceu de colocar lá nas CDD, CDU e Tabela de PHA da vida. Seria classificação por subgêneros? Nunca vi listado o numerozinho  tinhoso de "romance estrangeiro" ou "ficção científica" por lá ou os desdobramentos de Literatura com essas denominações.

(BTW esse é aquele número incompreensível que fica na lombada, caros usuários. Aquela powha não serve pra nada pra vocês, mas é lindamente nosso guia espiritual dentro da unidade de informação. Sem aquele número, a gente se perde e acaba peregrinando no limbo dos livros da estante "Organizar".)

A organização das estantes era por ordem alfabética de título, com prateleiras limitadas e sem muito sucesso na procura. São poucos os alunos que sabem o nome do livro todo e vão nas estantes atrás dele. Mas há muita procura por "livros de histórias assustadoras", "Livros de fadas", "Livros sobre o jacaré que engolia um relógio tique-taque só que um pirata tinha trauma dele", bem nesse estilo. Já ouvi a do "Livro da capa tal cor", mas aí emendei com uma piadinha nada infame sobre estantes de correr e como os infelizes poderiam ser esmagados por toneladas de caixas e tomos pesados.

Se é pra traumalizar, que seja agora e brandamente.

O melhor foi organizar assim (gênero literário/discursivo/whatever) e deixar os estudantes ficarem à vontade nas prateleiras para procurar possibilidades quando estivessem dispostos. Tenho a experiência própria que um livro puxa o outro e continuamente em meu tempo escolar, parava na frente da estante de romance estrangeiro e saía pegando tudo quanto era título sem ter preferência por qualquer um. É assim que descobri um dos meus autores favoritos, logo repetir a fórmula em um experimento básico com a geração nova seria uma boa...


Tirei essa seleção de gêneros de um artigo interessante (E que o PC da biblioteca comeu, logo saber de onde veio a referência vai me custar o mesmo tempo que fiz para encontrar, tipo uns 2 ou 3 dias...) sobre a montagem de uma biblioteca escolar se não me engano em São Paulo. A pesquisadora buscou trazer a mesma ideia de "encontramento" para os estudantes, já que a demanda era por interesse por gênero tal, não por autor e muito menos título:

Usuário: - Quero aquele livro, 'O rifle de caçar rolinhas'...
Bibliotecári@: - Sim, sim claro, vamos dar uma olhada...
 *taca procurar nas estantes*
*acha 'Bife de caçarolinha'*
Usuário: Ah! Esse mesmo, obrigadaaaa!!
Bibliotecári@: *cara de tacho*

Como o usuário da biblioteca NÃO TEM obrigação alguma de saber como é o procedimento organizacional interno, resolvi simplificar o máximo possível para que eles pudessem intuitivamente saberem para onde irem. Até porque sou uma usuária da biblioteca também e gostaria muito de achar os livros com mais rapidez e menos detalhismo. Opinião minha, ok? E numa biblioteca escolar, o tempo é precioso até pros pequenos, já que tem horário contado para fazer tudo no recreio.

Ficou mais ou menos assim (Com leves alterações no final por precaução de seguir uma lógica de procura) e NÃO, não sinalizei assim nas prateleiras, ge-zuis >____________< :


  • Teatro/Cordel;
  • Lendas/Folclore/Mitologias Diversas;
  • Fábulas, Clássicos que os adultos escreveram, mas a Disney infantilizou/estragou;
  • Classicões Brasileiros (Tudo aquilo que nos ensinam odiar no Ensino Médio por cair no vestibular, lembra?);
  • Livros pesados demais para caber na mochila (Clássicos estrangeiros em formatos absurdos de capa dura, com mais de 500 páginas);
  • Temas Sociais/Auto-ajuda/Superação/Ética e Valores;
  • Contos/Crônicas diversos (Brazuca e estrangeiro tudo junto);
  • Coleções de trocentos livros de anos atrás (Jabuti, Vagalume, Para gostar de ler, etc);
  • Romances (Livros com mais de 100 páginas e história única) estrangeiros;
  • Romances (Livros com mais de 100 páginas e história única) brasileiros;
  • Destaques e livros de fotografias/paisagens/História de Santa Catarina/Dicas ao professor (Essa estante não está para empréstimo);
  • Graphic Novel/quadrinhos;
  • Mitologia grega (Oras! Tinha que puxar sardinha pro meu lado!);
  • Livros que mais saem (Diários, dragões que são treinados, bruxinhos horcruxizados, essas coisas);
  • Horror/terror/mistério/suspense/ficção científica;
  • Prateleira Ziraldo;
  • Prateleira Maurício de Souza;
  • Prateleira Monteiro Lobato;
  • Poesia.
Tá faltando alguma coisa? Sei que deve estar, mas as conclusões tiradas enquanto arrumava:

Misturei os livros de literatura catarinense com todos esses enquadramentos, não é justo fazer uma prateleira só para eles, se posso misturar e deixar o estudante pegar às cegas sem ver o rótulo ohohohohohoho. Okay pessoal, entendo que vocês são bairristas pra caramba, mas a prateleira sozinha fica mofando ali atrás, hora de colocar tudo junto e ver se dá mais saída, oras!

Livros que de certa forma traziam conceitos teóricos, biografias e didáticos foram realocados para as estantes dos professores (Que não tou nem a fim de mexer agora), nos lugares onde possivelmente pertencem.

A quantidade de livros do arco-da-velha, buraquinhos de traça, recheados de fita crepe, é impressionante... Tirei alguns/muitos repetidos para não ocupar os lugares já posicionados para os livros novos. E verificar se havia colônias de fungos felizes em alguns títulos. Na coleção do Monteiro Lobato tinha um livro literalmente inutilizável, uma pena porque era de adivinhações...



Impressão de que tá faltando alguma coisa mesmo...
É um longo longo caminho esse trem...