Pesquisando

quarta-feira, 15 de julho de 2015

[interlúdio] então eles diziam...

Era uma vez alguém que acreditava demais no Amor, mas não confiava nem a pau no bendito cujo.  Originalmente feito para ludibriar os pobres mortais do grande esquema do Universo, também confundia os deuses. Não houve encontro aleatório, não houve "era para ser" ou algo do gênero. Também não existiu afinidade com o desconhecido, nada de Tempo que curava, saudade a ser morta, nada, nada disso. O mais importante, esqueceu de mencionar em seu último suspiro, dez segundos revendo sua vida passar por seus olhos que perdiam a cor:

Não há final feliz.
Apenas isso.