Pesquisando

domingo, 5 de julho de 2015

[review] Defiance - O Jogo

[esse post era pra ter ido pra fila há cerca de 2 anos atrás, WTF eu não botei, jamais saberei]

O jogo tem o nome da cidade, mas não é lá. Pegadinha do Malandro! Fonte.
Defiance é um seriado sci-fi que mostra o cotidiano lindo de uma Terra invadida por alienígenas (Os Votan, são 6 tipos deles: castithan, irathian, liberata, volges, indogene e recentemente os omec) em época de desespero. A timeline do seriado é de 2046-2048 e está na terceira temporada com roteiro digno de Game of Thrones, MUITAS pessoas morreram, protagonistas, secundários e extras até então. Já escrevi a introdução osbre esse seriado, pode ficar tranquilo e verificar esse post aqui [x].

Saint Louis, cidade americana, agora é Defiance, uma cidadezinha no meio de um vale generoso que juntou um bando de humanos e votans a viverem em paz, prosperamente e sem muitas novidades, mas sabemos de antemão que não costuma ser assim. Intrigas, traições, plots, tudo que uma sociedade em colapso pode chamar está aqui, mas hey! Confia na tia Rosewater que ela segura as pontas!

Se você é assíduo aqui no blog, vai saber que só assisto esse seriado pelo butthurt de Warehouse 13 e... bem... Jaime Murray como Castithan. É tipo meu sonho de consumo noldorin realizado com uma pitada mais drástica de drama, terror e sociopatia. Os Castithans foram incluídos no gameplay há um tempinho atrás e trouxeram algumas características de raça como o Liro (são os feats de Clã deles, tem cada coisa absurda por lá), as Charge Blades (Sabre de luz olá?! Olááááá?!) e fantasmas albinos com íris liláses com sorrisinhos macabros. Tudo muito lindo!

Consegui há muito tempo atrás uma promoção no Steam por R$ 24,00 a versão Standard, sem muita coisa, só o Buy & Play, e aproveitar que os meses de hiatus iam deixar um rombo enorme nos feelings de fangirl de sci-fi. Comprei Defiance: O jogo e estou feliz com isso. Aí 1 ano depois eles colocam como Free-to-play e não sinto diferença alguma por isso, eita lelê...

Editado para época atual, o seriado chegou a 3ª temporada e as coisas no jogo estão mais leves que pela televisão, geeeeeeezuis crispinho, mataram os McCawley todos! TODOS!! WHYYYYYY FECKING WHYYYYYYYYY?!

Primeira coisa a se notar: Shooter.


Tive meu tempo de Counter Strike há muuuuuito tempo atrás, mas as habilidades não voltaram como falam - aquele negócio de "é como andar de bicicleta...", não não é at all... - e a mecânica do jogo não foi absorvida tão belamente nas primeiras tentativas.

Tela genérica de aiming que vejo o tempo todo. Fonte.
Reclamo pra cacete da mudança de câmera e do operacional do mouse para interação. Diferente do WoW, a maioria das ações que tenho que fazer é no teclado, o que inclui mira, poder especial, troca de armas, e outras firulas que jogos de shooters podem ocorrer. Tive que programar o mouse algumas vezes para acertar essa pregaiada de coisa toda e até que agora estou acostumando com o gameplay. E a coisa fica mais tensa quando se tem um mouse gamer com 5 botões e não se coordenou bem os moves, acabo me ferrando com isso também.

Ainda não entendi alguns sistemas de armas e suas capacidades - é falar grego comigo sobre a diferença entre uma machine gun e um rifle de assalto - mas tou me virando bem com armas de longo alcance como snipers rifles e talz. Critical Shots me é fascinante, ainda mais quando HÁ uma contraparte zumbística no game que me dá agonia sempre quando tento passar pelas estradas para outros lugares.

Esses caras que regurgitam nos NPCs, blergh! Fonte da foto.
Eles se chamam "The Afflicted" e são o estágio 3 ou 4 da plague que aconteceu na cidade de Defiance nos episódios finais da primeira temporada. Srs stuff, graficamente impecável, atirar nos "mortos-vivos" não é legal, ainda mais quando eles vêm correndo na sua direção aos montes e cuspindo coisinhas em você. Algo me diz que essas pessoas AINDA estão vivas e só o corpo que se adapta a Plague da mesma forma como aconteceu na Terraformação. Freak as fuck, não chego perto deles nem a pau (Mas dar headshot é divino, tá?)

Sistema de veículos? Ganhamos uma motoca legal nas primeiras missões, de graça, ótimo, mas a mobilidade da coisa é um pesadelo. Nada parecido com nenhuma outra mount de WoW... Talvez desajeitado como um Mamute, mas mesmo assim terrível de se lidar nas curvas. Já na época do Defiant Few (Aliás, um ótimo arco entre o seriado e o game) consegui um carrinho muito muito bacana, o Dodger.

O respawn de criaturas é fantástico - o que me deixa MAIS confusa, nervosa, sem noção - e é bom ter pelo menos alguém fazendo a mesma missão que você para se obter algum sucesso sem incapacitar o personagem.

Volges,me fazem dar meia-volta volver quando vejo um grupo deles. Fonte.
O que é legal? Pontos de extradição firmados em diversos lugares no mapa. Nada de travar objetivo por conta de level - em Defiance não tem level, tem EGO Points que é uma árvore de talentos sem limites, você pode escolher 1 principal e sair pegando habilidades de qualquer outra árvore sem problema alguma. Quanto mais EGO Points você tem, mais updates de habilidades especiais. Acabei escolhendo a parte de dano máximo, porque não tive paciência de ficar lá no esqueminha de disfarce virtual/holográfico pra ganhar vitamina e stamina (Sou viciada em coisas com stamina, esqueço até qual minha classe se vejo item com bônus de stamina).

É habilidade pra mais de mero. Overcharge (direita acima) é a minha. Fonte.
Eventos ao tempo todo: A Queda das Arcas - naves enormes nas quais vieram os Votan/Aliens de Defiance - é o melhor jeito de ganhar dinheiro rápido, armas boas e XP pros EGO Points. E cenas engraçadas também e lag, muuuuuuito lag. Na maioria dos desafios de tempo (Variam entre 10 a 20 minutos) é matar Hellbug übber vitaminado ou eliminar mutantes da facção militar oposta - que me lembra bem os browncoats de Firefly, mas sem a aparência decaída e zumbística.

Hellbugs: o menor dos seus problemas em Defiance Game. Fonte.
Eventos menores como derrotar soldados Volge - um pé no saco para atirar nesses caras, eles sempre tem um elite que dá sprint every goddamn time! Aí marcar com sniper é fail total - eventos/desafios também tem aos montes para testar os Arkhunters (É assim que nos chamamos no mundo de Defiance, um bando de maluco que decidiu fazer upgrades físicos e mentais para sobreviver na vida loka da Califórnia de 2046) com tempo, itens, quests e muito mais.

A storyline? Enredo? Roleplay? PERFEITO! Tudo que precisava ter em um MMO está lá, diálogos bons, cinematics ao terminar as main quests, interação moderada com os NPC's dos cenários (Não tem clique ao contrário em cima de vendedores, aliás, os vendedores aqui são self-service: são máquinas enormes que oferecem suprimentos, veículos, mods de armas e tudo e tal), tudo encaixando com alguns acontecimentos do seriado. Aí sim!!

Nolan não me deu carona, nem pagou um drink. Mané! Fonte.
Acho que meu ataque histérico foi de no primeiro dia no jogo encontrar o Nolan e a Irisa no esquema do "faz quest, mas não fui eu que mandei tá?" para achar aquele artefato voltan que eles usam na nave caída (Ark) do primeiro episódio. É legal ver os remendos sendo costurados e a história sendo explicada. Também há de se entender do porque Irisa estava já com birra no começo da temporada... Jed Nolan é um cara bem folgado e complicado até então. Estamos na timeline ANTES de Nolan chegar em Defiance e conforme a gente vai progredindo nas main quests é que chega realmente onde parou a temporada.

Quem apareceu de legal?
Rynn - a Irathian maluquete que fugiu do transporte para a prisão de Las Vegas. A parte do uso de feromônios de hellbugs para matar pessoas está lá. E é um saco atirar em hellbug de longe, eles NÃO MORREM!
A Embaixadora - aquela filhadaputinha que tinha dois maridos durante o episódio da fuga de Rynn? Yep, dá ordens pra gente via rádio e trava uma bela discussão política com o nosso boss: General Grant.
Nolan e Irisa: uma das missões é ajudar Nolan a pegar o artefato Votan. A recompensa é uma arma qualquer, muito dinheiro e a roupa igual a dele hahahahahaha! Nolan tirou as calças dele por mim, lalalalala!
Stahma Tarr - foi o dia mais estridente e suspiroso de completar as quests. Because? Feelings...

Fangirling? Sim, até o último fio de cabelo! Ver Stahma Banana Lhama participando de um crossover entre game e seriado e ouvindo Jaime Murray dublando foi lindo... *suspirão* E floody de pics com ela!

Odeio esse carinha atrás dela, Varus paga mal e é cilada Bino! Fonte.
Não, o prazer é todo e apenas meu... Fonte: Arquivo pessoal.
E no meio do jogo de poder entre gangster Liberata (Varus Soleptor) e Castithan prepotente e arrogante (Stahma Tarr), completei a missão chata - quests do Soleptor não me dão nada de bom em armas ou equip, mas ganhei muitos pontos com a Casa Tarr e fiquei familiar deles depois disso - e de quebra, babando na frente do monitor, recebi uma proposta indecente...

"Trabalhar com a Casa Tarr pode ter MUITOS benefícios." Fonte: Arquivo pessoal.
Apenas diga quando e largo essa vida de matar hellbug e zumbi e faço o serviço de casa sem problemas. Lavar banheiras e preparar banhos Castithans está na minha ficha, faço sem cobrar extra e nem reclamo. Tantas vezes você quiser Favi Tarr!

Pode me usar à vontade, Favi Tarr... Fonte.
A minha personagem é a Caitrióna O'Sheara - yep péssima com nomes originais, tem que se valer do roleplay darlings - humana no modelo, mas é híbrida half-castithan, classe Machinist (É Engenhoqueiro, mas fazer o quê?!) e tem contrato com um tal de Van BachEssa storyline dos híbridos só apareceu no seriado depois que Alak descobriu que a Christie estava grávida, no game foi antes da 2ª temporada fechar com um arco com um half-irathian que sofria de uma doença genética que estava se espalhando aos arredores. híbridos são muito difíceis de aparecerem na Nova Terra, se passaram cerca de 2 décadas desde a primeira invasão e o cessar fogo foi menos de 15 anos. Ter um híbrido jovem e maduro para ser um arkhunter é raro, mas hey! Eles estão aparecendo agora no seriado, vou abusar dessa premissa.

O mané do Von Bach já foi citado no seriado algumas vezes por distribuir tecnologia militar para a E-Rep e também para a Votanis Collective (Não duvido muito que nas armas que Datak Tarr contrabandeia para dentro da cidade não sejam de Von Bach) que agora são os vilões da 3ª temporada. As armas e equip que ele vende são melhores que as do Soleptor, mas igualmente decepcionantes. Se você procura porradeira mesmo é Paradise Vendor ou Top-Notch na cuca, os dois são os melhores fabricantes de armas com potência máxima.

O que jamais irei entender é como a E-Rep tem tecnologia capaz de usar naves cargueiro no cenário de Defiance, já que em um dos episódios, Nolan e a prefeita Amanda explicam ao "astronauta descongelado" que nenhuma nave, avião ou transporte aéreo é usado na Nova Terra porque o ar lá em cima é bem mais tóxico do que parece. Tudo bem, tudo bem...

A mocinha O'Sheara tem toda uma backstory que retomei para postar hoje à noite (E não vai dar tempo porque preciso ir dormir, lalalalalalalala segunda-feira), mas tá tudo sendo anotadinho aos poucos para uma fanfiction básica. Preciso voltar a produzir, nem que seja para só eu ler, hehehehehehehe.

Sim, ela não tem um olho e o Ego Implant dela era de outra pessoa. Fonte: Arquivo pessoal.
A interação com outros players é mínima, há 2 modos de jogo: o de completar missões em conjunto e o de pega pra capar (PvP) o que realmente me interessa muito, oh sim... PvP pra mim é perda de tempo, desespero, confusão mental e espaço para vinganças, então fico no modo de missões o tempo todo para assegurar minha sanidade fragilizada. Dá para mudar de modo no meio do jogo quando você quiser, o menu de Character tem uma pancada de coisas para se explorar. Achievements, pegar as Data Recorders gravadores de voz deixados por NPCs explicando pedaços da história, explorando lugares, e fazendo desafios para bater recordes também fazem parte do jogo.

O chat não funciona direito, povo prefere usar o vent integrado a interface, logo ouvir pessoas no chat é comum. E igualmente irritante. Os comandos de chat são bem lesados, pra digitar uma mensagem demora muito e não tem como voltar para editar alguma coisa. Um pecado, já que 60% da diversão de um jogo de MMO é o bendito chat de coisas inúteis.

O lag infinito quando há eventos de Arkfall é por conta dos servers. Há apenas 2, sendo North America e Europe. Como fui apressada, escolhi North America e sobrei na batatinha. Então há certas vezes que fico atirando no nada, rodando que nem peru em véspera de Natal pelos campos onde o evento está acontecendo e quando vejo tou no chão em uma poça de sangue. Ótimo!

E tem mais a opção de um colega de jogo te salvar também!! Fonte.
Outra coisa beeeeeeeem boa: É dificil pra caramba de se morrer em Defiance. Você tem 2 opções - Incapacitado e Self-Ressurrect, dependendo do damage feito pelos mobs, é que escolhe o que ocorre. Se for algo pequeno e feito aos poucos é Self-Ressurrect, você vai apertando o "E" e levanta com a saúde restabelecida pra continuar a missão, se for uma paulada só é Incapacitado, aí o jogo te transporta para o ponto de extradição mais perto. E o bom que perto desses pontos tem caixa de munições, isso sim é praticidade!

A interação com o mapa também é boa, mas pesada para carregar. Infelizmente eles incluíram em um patch de atualização o mapa ser fixo quando você aceita uma missão, sendo localizar alguma outra coisa em outros lugares um ó do borogodó porque o ponteiro cisma de voltar para onde está localizado a quest aceita.

BTW quem gostou dessa bagunça de ficção-científica toda tem uma fonte de informações maravilhosa chamada DefianceBR. O povo lá é dedicado MESMO!

Agora deixa eu desesperar com mais outro episódio da 3ª temporada que tá ficando cada vez mais agonizante de ver.