Pesquisando

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

disposição mariposística

Essa postagem era de ontem, vai hoje né?
Toda vez que tou feliz, sabe, muito feliz, o estômago ataca.
Tipo gastrite.

É como o prenúncio de algo muito legal a acontecer e plim, o trato digestório vai pro saco na hora.

Não é de piriri, ficar no troninho ou botando bofes pra fora, é a lancinante dorzinha persistente debaixo dos pulmões, em cima do diafragma, apenas esperando algumas pontadas para continuar existindo.

E aí coisas felizes acontecem.
Level de química corroborada com ideias criativas sobem imediatamente, transbordando emoções que supostamente deveriam ficar enterradas bem lá nos fundilhos, ocultas, obsoletas. Tipo CD de instalação da AOL para Internet discada 516kbps.


Coisas felizes ocorrendo e eu percorrendo elas com uma sutileza imbecil. A suspeita é que provavelmente irei chegar ao ápice ao entrar no ônibus e literalmente desabar no sono profundo, acordar meia hora depois sem um pingo de ansiedade feliz ou aquele feeling de mariposas na barriga.
(E é uns bicho estranho essas coisas aí)

Era pra escrever pelo menos umas páginas hoje de coisas referentes ao TCC, mas estou aqui brigando com os olhos pra não fecharem enquanto escrevo, a felicidade que anda escapando faz tempo completar um pouquinho disso que vos escreve.