Pesquisando

prest'enção nesse trem aqui! [clica cá]

mudanças do eu-lírico/bibliotequices

Entonces... Resolvi dar uma repaginada nos esquemas do Bibliotequices - uma sessão que eu mantinha aqui desde outubro de 2015 - para or...

Mostrando postagens com marcador #RightInTheBaçoFeelings. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #RightInTheBaçoFeelings. Mostrar todas as postagens

sábado, 7 de fevereiro de 2015

No passinho da Elvira pro sabadão

Sábado começou tão bem, tão legal, tão zen, aí acordar com sonho angst não é legal. Porque a Dama Ironia da Vida está sempre ativada quando se trata de sonhos vívidos com pessoas que NÃO se deveria mais sonhar.
(E o pior o não querer se preocupar por achar que a pessoa está precisando de alguma coisa)

Obrigada Universo, muito obrigada.

sábado, 24 de janeiro de 2015

o probrema com a ágave

(Vou ter que empacar na Guinness forévis pelo jeito)

Haha, agora vou ter que negar. Não consigo nem mais sentir o cheiro. Damn it!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

[videos] Breathe Me por Sia

Apesar de estar com a trilha sonora de Penny Dreadful na playlist do PC o dia todo,chamou minha atenção no domingo essa criaturinha australiana chamada Sia. E essa música é perfeição!
(E não é que a bendita é em escala de Lá Menor? Voooooou te contar!)



Help, I have done it again - I have been here many times before
Hurt myself again today - And the worst part is there's no one else to blame

Be my friend - Hold me, wrap me up
Unfold me - I am small and needy
Warm me up - And breathe me

Ouch I have lost myself again - Lost myself and I am nowhere to be found,
Yeah I think that I might break - I've lost myself again and I feel unsafe

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

dica de site: Elephant Journal e artigo sobre Mother-wound

Vou deixar esse link de artigo aqui (aliás agradecendo muito a Ju Umbelino lá do Nerdivinas por compartilhar esse site), pois preciso me lembrar de ler pelo menos umas trocentas vezes antes de ter mais outra crise existencial.

Esse artigo em particular me chamou atenção devido ao fato de argumentar como os feelings ou a falta deles que rola em uma família - mãe passando para filha passando para neta e por aí vai - pode afetar as vidas de muitas pessoas (Principalmente as mulheres). Uma questão interessante que a autora deixou foi o fato do karma estar agindo nesses casos (pelo que dei uma pesquisada a autora também escreve muito sobre assuntos relacionados a saúde e bem-estar e yoga), ela deu o exemplo de sua própria família e como essa mother-wound (ferida materna?) atrapalha demais em certos aspectos da vida emocional de suas filhas - inseguridade na maior parte do tempo.


Fonte: http://www.elephantjournal.com/2014/04/is-the-mother-wound-ruining-our-romantic-relationships/

Freudianos freudianarão, e todo aquele papo de culpar exclusivamente a mãe pelos problemas subsequentes dos filhos não entra na minha cabeça como algo aceitável, mas sim como consequência de algo que já está enraizado na nossa cultura patriarcal. A repreensão vem desde criança, a submissão desde o berço, a escolhas baseadas em opções excludentes desde sempre e quanto mais o filtro vai afunilando, menos escapatória há para se ter uma vida saudável e psicologicamente estável.

O modo como somos criadas desde pequenas, com essas opções excludentes nos sufocando até as tampas, faz com que muita coisa se retraia e também se desenvolva em nossas personalidades. Infelizmente faço essas comparações quase o tempo todo devido a uma simples afirmação que constantemente me era colocada quando criança: "Não seja como (fulano/fulana de tal)", logo ter toda esse entendimento que "não devo ser como o outro" deixou um belo rastro de problemas não resolvidos.

Óbvio que no final do artigo eu fiquei WTF - oh a negação, a Santa Ana Negação de todos os dias - mas como disse anteriormente: guardando para posteridade. Se em 15 anos de intensa pesquisa sobre o que não devo ser ou quem não devo seguir me serviu pra alguma coisa, ter esse apoio discursivo é uma boa para deliberar o que raios acontece comigo quando tento ser um pouco mais afetiva.

domingo, 2 de novembro de 2014

[video] The Greatest Bastard por Damien Rice

Tem hora que fico de cara como alguém consegue tirar todas as palavras exatas que tou esperando ter coragem de expressar alguma vez na vida.

Damien Rice lançou esse álbum anteontem (Halloween hmmmm?) e já está na minha top list de letras mais awesome que já ouvi.

Aí ouço o álbum e do nada vem essa aqui:


Powha irlandês! Ajuda aew no bendito do karma amnético!!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

[video] Down and out of time by Sixpence None the Richer

Adoro quando a letra da música é direcionada inteiramente pra me dar uma porrada bem dada no ego e no baço. E a quarta-feira chegou, yay.



I dreamt of something last night in my sleep;
I saw you sitting in a room without me;
You were smiling and you had a tattoo;
Of me, in a room without you.
I aim my cannon at you ready or not;
You're gonna feel my pain, like it or not;
You've got your debts to pay and you are one of mine
You're down and out of time.
And there is something I've wanted to say:
A simple rhythm I forgot how to play;
I wanna tell you that I've called off the dogs,
Your mystery is not worth being solved
I aim my cannon at you ready or not;
You're gonna feel my pain, like it or not;
You've got your debts to pay and you are one of mine
You're down and out of time.
I wanna tell you that I've called off the dogs,
Your mystery is not worth being solved
Down and out of time by Sixpence None the Richer