Pesquisando

Mostrando postagens com marcador Bode. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Bode. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

le mimimi necessário miguxis

Algum gatilho deve ter sido puxado, não estou conseguindo identificar onde, mas já sei o porquê.

Tou cansada de ver omissão, falta de compromisso e batalha de egos. Eu não nasci pra essas porcaria não.

Ao invés de fazer algo pra mudar o curso das coisas, tou presenciando muito comodismo, muita briga de parquinho e muito "não mexe no meu status que haverá consequências". Isso me cansa de uma maneira tão grande que letargia é o estado atual. Ficar surda e distraída faz parte, manter a paciência no level considerável e forçar a barra pra me sentir mais útil nos lugares onde estou inserida é o processo diário.

Entre dividir a sala com gente que me é cara e mesmo assim ganhar um olhar indiferente ou cobrança, prefiro me fingir de véia doida, ficar no meu cantinho e fazer o meu trabalho. Não tenho mais paciência pra uma porção de coisa: tentar me colocar no lugar do outro já tá me irritando duma maneira que achei que não era possível.

E o bode amarrado, bem ele tá ali cantarolando enquanto bale bem faceiro. Nesse duelo deixei ele ganhar, mas a batalha começou há uns dias atrás com um simples telefonema.

Então se eu for rude, chatonildx, apáticx, sem noção ou demonstrar sarcasmo além do limite permitido, não venha me dar sermão, fazer reza braba ou querer que eu me explique, vai catar coquinho na entrada do barqueiro e deita no mármore branco do Hades. Poderia ser bem pior, poderia ser chão de brita.

Mais uma vez a Biblioteconomia meio que resgata minha vida de escriba, creio que o semestre vai render pra resolver a vida profissionalmente, mas tá difícil ver além de um palmo a frente quando seus colegas, professores, bibliotecárixs que conheço estão numa sucessão de mancadas federais. Brigar por um curso/carreira e suas melhorias é ótimo, mas topar com gente que só pensa em atrasar o processo por razões estúpidas? Dá vontade de dar uns chacoalhões nas criaturas.

Essa coisa toda junta e a única frase que está presa agora é: "Você não está sendo muito útil, vai sumir que é o melhor que você faz".

Autossabotagem: a gente vê por aqui.

Ps: eu precisava de uns abraços e momentos em silêncio pra me sentir mais segura e confiante, mas tá tenso. Deve ser a porcaria de idade... Tem que ser.