Pesquisando

Mostrando postagens com marcador LGBT. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador LGBT. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Direto do Tumblr - Rage Psycho Rachel e Couple-ish

Essa websérie foi criada, escrita e produzida pela Kaitlyn Alexander (a.k.a. LaFontaine de Carmilla the series), e conta a confusão que uma colega-de-quarto (Rachel, interpretada pela Sharon Belle - ela também fez a Danny Lawrence em Carmilla) arranja ao "mentir" para o governo canadense sobre estar casada com a dona do apê (Dee - interpretada pela Kaitlyn) para manter o visto estrangeiro por mais um momento até conseguir renovar.
(E não ser deportada e ficar no olho da rua e não ter mais amigos e família e ser uma completa negligenciada pela sociedade)

O que parece ser uma solução viável e não tão horrível assim, vem acompanhada de muitas responsabilidades e compartilhamento de rotinas. A irmã de Dee, Ames, decide então dar uma incrementada nessa farsa: o falso casal deveria vlogar seu relacionamento como aqueles famosos canais de celebridades do YouTube. Cês sabem, para vender o peixe melhor... Talvez alguém lá da embaixada desse uma olhada e visse o quanto as duas se gostavam e se convenciam que Rachel deveria ficar.
(Lembrando que no Canadá tem casamento homoafetivo faz um tempão e seguem as mesmas legislações dos heteronormativos, com divisão de bens, guarda de filhos e o escambau. Eles não brincam no serviço não!)

Couple-ish pode ser assistido aqui [x] e olha só que legal! Tem legendas em português!! Como amo esse fandom do tampão!! Updates nas quartas-feiras e sábados lá pelas 18h ou 18h30 aqui no Brasil (5 P.M. de Toronto, tem uma diferença de 1h por aí), só se inscrever no canal que a notificação vem assim que o vídeo é colocado no ar.



Estamos no episódio 8 e tudo está uma bagunça tão danada que não vejo muito futuro para o "feliz casal" se tornar de certa forma canon. A grande lição aqui é como o seriado mostra como 2 pessoas totalmente diferentes podem encarar certas situações da vida pelo amor à amizade. Porque pra mim o único ship que sai velejando aqui é de Ames e Rachel, as duas tem uma dinâmica tão boa que parece que uma fagulha de paixonite está ali esperando alguém jogar um pouco de gasolina.

Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee como sou fangirl da Sharon Belle (Rachel), fiquei impressionada ao ver essa reação nada convencional dela saindo de um estado de apatia e cansaço para uma explosão de raiva assassina. Nisso que dá quando sua colega-de-quarto não entende que aumentar a vitrola com música clássica não é para perturbar as pessoas, mas sim para evitar ouvir certas atividades sendo propagadas do outro lado da parede, arrém...

quinta-feira, 30 de abril de 2015

a tia futura

O papo era o seguinte no ponto de ônibus:
(Não deu para evitar de não escutar, mesmo com fones de ouvido, ponto cheio, trânsito intenso, etc)

Duas garotas (novinhas, menos de 18 provavelmente), falando abertamente sobre relacionamentos e o quanto alguns estragaram a percepção de finess sobre o Amor para elas. Pena.

O papo continua (eu tremendo de frio), algo sobre o que se busca para o futuro em questões de coração e cobertor de orelha, para então, no súbito calor da discussão chega-se a uma premissa que já ouvi muitas e muitas vezes em papos anteriores com rapazes sem nenhum miolo perceptível em funcionamento:

Apenas cale a boca, sim?
" - Vou casar é com uma tia, viver às custas dela, lavar, passar, cozinhar, levar pra cama, tudo sem eu ter que mover um dedo."

Okay.

Primeiro de primeiro de tudo, a pessoa (a novinha nº1, vamos apelidar assim?) claramente expressou que precisa de uma segunda mãe pelo jeito, não alguém para viver um relacionamento. Freud explica (ou complica).



A novinha nº 2 concordava com ênfase, pois parece que seu coração estava com buraquinhos (E não podia mais curar...)No just nooooooo!! Vocês já conseguiram chegar bastante longe em serem duas mulheres independentes, poderem falar sobre qualquer coisa sobre a sexualidade de vocês sem ter vergonha e receio e me vêm com essa?!

Segundo: W IN TF repetindo o mesmo discurso dos marmanjos mandriões apoiados na fala desrespeitosa do não-compartilhamento de tarefas, responsabilidades e etc, etc, etc?! Why fecking why?! Por que gastar o teu tempo ao lado de uma pessoa apenas para isso?! WITIDE!!



É como ser jogada para uma dimensão paralela em que a medievalice e a burrice se expressa de maneira menos saudável e mais palpável. A conversa ficou na minha cabeça durante a viagem, porque além de ser absurda (Eita), tocou em um ponto pertinente na educação besta que recebi: eu não quero ser essa tia.

Autonomia é algo que prezo muito, e a possibilidade de ter alguém assim - literalmente sugando a pessoa com quem está, seja ela de qual gênero ou preferência sexual que for - me dá ânsia de faniquito de ignorância em terceiro grau. A vibe no ponto do ônibus deve ter miado, porque não tinha como continuar escutando o papo sem querer botar meu almoço pra fora. Duas novinhas sem miolinhos provando mais outra vez que precisamos miorar e muito pra não deixar essas coisas serem perpetuadas.

Gente, século XXI em Florianópolis, a capital mais acolhedora para o grupo LGBT. NÃO ESTRAGA A POWHA REPETINDO DISCURSO MACHISTA!!

Como alguém muito sábio já dizia: mente vazia, oficina de Titi.
(Não o Tiririca, mas o outro rapaix)