Pesquisando

Mostrando postagens com marcador dia de São Jorge. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador dia de São Jorge. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 23 de abril de 2015

dia de São Jorge

Agora percebo de onde veio o código cavalheiresco absurdo
Escrevi esse post de pesquisa lá no Facebook há 1 ano atrás, mas transcrevendo pra cá:

Hoje é dia dele. Bora falar um tiquim de História?
Faz mal a ninguém...

Jorge de Capadócia - ou como ficou conhecido nos escritos da Igreja, tanto Romana quanto Ortodoxa - foi um soldado romano no século 3 lá na Turquia, de acordo com a tradição do catolicismo. Ele fazia muito bem seu trabalho como cavaleiro e de quebra espalhava a Boa Palavra  (Sabe? A Bíblica?) para quem quisesse ouvir.

O trem da lenda do dragão? Bem, tinha cada coisa estranha antes da Idade Média que não é bom duvidar se não existia esse tipo de bicho... Pode ser metáfora contra o Mal Supremo também, mas acredito piamente que era um dragão (Tipo, dragão mesmo, com asas e escamas e bafejando fogo e talz).

São Jorge é cultuado em quase toda parte do mundo (Até na Rússia!) e acredita-se que aquela manchinha na Lua Cheia é a silhueta do Cavaleiro com seu cavalo e espada, protegendo os meros mortais aqui de qualquer perigo. Ele também faz parte dos 14 Santos Auxiliadores (Santa Bárbara êêê eparrei? e Santa Catarina também estão nesse clube), padroeiro de uma pancada de cidade, dos fazendeiros, do povo Romani, das ovelhas (wat? frank? beeeeeh), dos pastores (bem, agora faz sentido), dos cavaleiros, dos soldados, policiais, ferreiros, escultores, caminhoneiros, dos corintianos (maloquêro, sofredor) e muito mais.

No sincretismo das religiões afro-descendentes - mais especificamente a Umbanda, a que tenho mais afinidade - temos ele como o Orixá Ogum (Senhor da Guerra), mas em Salvador ele é o Orixá Oxóssi (O Caçador).

E tem essa tradição muito awesome no Leste Europeu dizendo que na madrugada pro dia de São Jorge, todos os espíritos maléficos vão dar uma voltinha só pra levar sopapo do santo pra voltarem para onde eles não deveriam ter saído. Quem leu "Drácula" de Bram Stoker vai saber qual é do Leste Europeu pra essa crença.

O legal de pesquisar sobre o sincretismo de St. George por aí e encontrar o Tyr (O Deus Asgardiano ferreiro que fez a coleira para prender eternamente o filhote do Loki,o lobo Fenrir, e acabou perdendo a mão nessa brincadeira? Esse mesmo!) listado <3 - ele poderia também ter a comparação com Siegfried por causa do trem do dragão, maaaaas é uma longa história...


----------------------------

Particularmente ele se tornou uma figura presente nas minhas orações - mesmo não sendo católica e mais ligada com panteões politeístas do que o covencional - sou inclinada a dizer que elas vêm sendo escutadas e muito bem aceitas, principalmente pra proteger o meu corpo contra qualquer mal que venha de fora (e de dentro também).