Pesquisando

Mostrando postagens com marcador noldorices. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador noldorices. Mostrar todas as postagens

sábado, 27 de junho de 2015

dah feelings

O sugar high pode estar me influenciando agora, mas for the sake of good memories - e esse foi o papo mais desenvolvido do dia - tenho que agradecer a alguém aqui.

Mucho thank you Momz. Srsly, 4 realzies.
U halps mee so muchly much que nem consigo expressar direito o quanto U R awesomely awesome to me. Srsly business, ya know.

Plus: eu totalmente apertaria suas bochechas agora #NoRespectForURAuthoritah!

===================
E quanto mais tempo passa, mais percebo nas semelhanças...

Isso é sobre quando falamos horas sobre batatas.


Isso é sobre a cada 5 minutos de cuteness do #MalteseHurricane ou Zé Bunito

Isso é sobre quando entramos em papos superfilosóficos.

And this... *le sigh*
Sei que meu domingo vai ser horrível, mas hoje é tudo de bão quando sei que há a criatura noldorin full of awesomeness taking care of my traseirinho. O feeling permanece mesmo com 2 estados no meio, alguns milhares de distância, lots of bagagem nos esquemas, mas é good estar sentada aqui, botando ordem em tudo que preciso e saber que alguém se importa. Não só alguém, é *ela* que se importa (E é isso que realmente sempre importou - mas as quiança cresce e percebe nas coisas muito tardiamente).

E há essas horas entre uma respirada e outra que delibero se toda a busca por algum significado não esteja exatamente disposto na compreensão de algo que já está bem ali. Deus falou uma vez: "How can you stand next to the truth and not see it? Change of heart comes slow"

Soooooooo, in mah sugar high, sempre um pouco sindar lesada chorona.
I miss ya, beeeeeeesha glamourosa, bixa que faz, fica em paz e muito axé e luz azul.

Ps: hehehehehehehehehehehehe cara de soooooooono!

[Este post foi especialmente criptografado para apenas uma pessoa em Arda entender]

sábado, 14 de dezembro de 2013

Thranduil, invejo vossas madeixas

Entonces,

Não irei ver O Hobbit, logo aceito major spoilers de tudo quanto é tipo. Só pesquisando a opinião do povo pelas interwebs e parece que a amiga imaginária do Legolas - Tauriel - está fazendo mais sucesso que o próprio (Tell me something I DON'T KNOW YET), mas não menos que os cabelos do Thranduil.

THE FAAAAAAAAAAABULOUS THRANDUIL'S HAIR!!!

Porque durante esse tempo todo que vi os promos e os gifsets e tudo mais, a única coisa que me vinha a cabeça quando tinha algo sobre O Hobbit eram os cabelos dourados da peruca linda do Rei dos Silvestres.

E não é L'Oreal nem Garnier Fructis. Tenho que respeitar: entre os cabelos lambidos de Sindar ou os revoltosos do Noldor, aquele hairstyle está beirando a 8ª maravilha de Arda (Srsly? No way alguém viver numa floresta úmida, dentro dum reino perto de cavernas, clima estranho e pesado e ter um FAAAAABULOUS HAIR daqueles...).

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

fëanorices enraizadas


"Se você deseja viver primeiro precisa assistir ao próprio funeral"
(Katherine Mansfield)

Nunca tive afinidade com o parente, aliás, o desprezava com certa animosidade sem causa alguma. Apenas uma sombra no passado, um nome a ser lembrado com temor, uma lenda longe do meu alcance. Um personagem fictício de um dos meus livros favoritos e que sem querer me influenciou muito desde que me entendo como pseudo-escritora. Não é que eu simpatizava com a figura - ele era um puta dum babaca do começo ao fim - mas muitos comportamentos ali me traziam certa familiaridade. O complexo de Édipo não resolvido, a vontade de territorializar seus parentes, o discurso inflamado antes de sair de Valinor, o olé na hoste de Fingolfin, a queimação de filme (e de barquinho) no porto de Alqualonde.

Tiremos a parte de correr atrás de brilhinhos, isso é ridículo.
#ProntoFalei

Quando eu criei a Hariel (Com I ainda até descobrir que tem um anjo na cabala que tem esse nome, nada feliz!), eu a tinha como essa criança super empolgada com livros e a história da família - Noldor principalmente - e que queria explorar o mundo em aventuras bobas aos arredores de Lórien. E assim foi a pequena elfa da Casa de Celeborn e Galadriel, toda pimpona, gingando pelos telain, irritando a sobrinha Arwen e causando confusão por ser impetuosa demais. Era uma personagem persistente em minha escrita, sempre quando estava escrevendo algo era de certa forma remetido a ela. A Hariel virou Haryel, herdeira de uma Casa já minguada, tensa por estar entre os dois mundos e ver a ascensão do mundo dos Humanos sobre o seu. Era melhor nunca ter deixado os telain não é?

sábado, 14 de janeiro de 2012

Crise de "e se..."

[originalmente postado em 17/05/11 20:37]

Mas quando se sabe quando se está apaixonado afinal? – perguntou Richard Castle certa vez em um episódio do seriado Castle. Ele questionava sobre a recente mudança de personalidade de sua única filha, Alexis, que estava suspirando por um garoto da escola que ele mal sabia quem era. Então sabiamente a Detetive Kate Beckett respondeu:
Todas as letras de música fazem sentido…

Aí recordo-me que até então não havia mexido em minha mala da última viagem para Sampa. Lá no bolsinho onde as passagens ficaram tinha um anel prateado erroneamente marcado com o meu nome. Por um breve espaço de tempo racional eu estava atada completamente aquele pequeno pedaço de metal. E todas as músicas pareciam fazer sentido… Era feliz viver assim, sabe? Dá até pra sentir um pouco da felicidade daquele tempo voltar por alguns instantes por segurar essa coisa de metal pesada, chega a ser fora da Realidade ter esse símbolo de Vida Nova na minha mão, uma prova de que sim algum dia eu poderia ter mudado tudo pra viver só através de outra pessoa.

Aí coloquei de volta na mala e fui tirar extratos bancários e fazer contas.
Encontrei algo pior de se fazer do que regra de três e matemática financeira.
Pensar que eu poderia ter tido uma vida diferente.

E se… e se…
Crises de pretérito-mais-que-perfeito estragaram meu dia imaginário de ritmo de festa.

Silmarillion por R$ 19,90?

A Leitura – única rede de Livraria e Suprimentos que existe nesse fim de mundo mineiro – fez o favor de abaixar os preços dos Livros Infantis e nos agraciar com clássicos dos Irmãos Grimm e da Literatura Infantil com preços abaixo de R$19,90. O Hobbit estava lá em um preço modesto de R$ 17,90 ao lado da Saga Percy Jackson e Alice de Lewis Carroll e O Pequeno Príncipe de St. Exupéry. Mas encontrar o Silmarillion na 4ª edição da Martins Fontes por R$ 19,90 é que me fez pular em círculos segurando o livro e repetindo: “Obrigada Eru por um sinal!! Obrigada!!

Mas como todos os Noldor são desconfiados e precavidos por natureza, questionei o porquê de justamente Silmarillion estar ali na estante de Literatura Infantil… Okaaaaaaay a Bíblia dos Elfos não deveria estar exatamente ali. A não ser que crianças tenham apetite para ler uma narrativa épica, longa e bem detalhada. Elas têm?

O mais engraçado foi ir na Literatura Estrangeira e ver duas coisas interessantes: Norah Roberts com uma Trilogia do Círculo (Todo mundo fazendo isso eeeeeita!), primeiro livro chamado A Cruz de Morrigan – parecia interessante realmente, mas lerei os reviews antes de comprar e me arrepender de matar uma árvore para produzir um livro tão bonito na capa e no miolo – eeeeee a coisa mais LoLz e absurda que se possa encontrar em uma livraria em qualquer parte do mundo: Stephanie Meyer ao lado de Anne Rice…

É… Eu tentei tirar foto disso, mas a vendedora estava respirando em meu cangote e não foi possível registrar essa puta falta de sacanagem bem ali na estante. Agora que acho que foi um desaforo maior colocar Saga Crepúsculo ao lado de livros como Entrevista com o Vampiro, Vampiro Lestat e A Hora das Bruxas (Que não estava em promoção caso queiram saber x____x foi uma bela facada no rim ao ler R$ 59,90 só pelo livro II), isso foi.

Ou burrice de quem repõe as prateleiras já que se pensarmos que o índice das estantes é em ordem de sobrenome do autor, desde quando “M” fica do lado de “R”. Alguém esqueceu o alfabeto!! Oooooooou alguém pensou do modo mais babaquinha possível: “É livro de vampiro e essas porcariadas? Vou botar tudo junto pra esse povo maloqueiro achar mais rápido…

Mas a prateleira de auto-ajuda e Chico Xavier estava bem ajeitadinha… Paulo Coelho com direito a estante própria… Nisso eles capricham… Quem mexeu no meu queijo? Quem furou o meu queijo? Quem cortou o meu queijo? O Monge e o executivo, o Monge e o yuppie, o Monge e o dono da Microsoft (Que não é mais o Bill Gates yaaaaaayness!!).

¬¬”

Ainda bem que levei meu Silmarillion. O meu antigo tá todo rabiscado, assinalado, com a capa amassada e com uma versão muito frutinha do Morgoth usando a coroa com as Silmaril – e acabo de me esquecer como é o plural dos brilhinhos do tio-tarado-pervertido-por-elfos Fëanor *se morre*
$(function(){$.fn.scrollToTop=function(){$(this).hide().removeAttr("href");if($(window).scrollTop()!="0"){$(this).fadeIn("slow")}var scrollDiv=$(this);$(window).scroll(function(){if($(window).scrollTop()=="0"){$(scrollDiv).fadeOut("slow")}else{$(scrollDiv).fadeIn("slow")}});$(this).click(function(){$("html, body").animate({scrollTop:0},"slow")})}}); $(function() { $("#toTop").scrollToTop(); });