Pesquisando

Mostrando postagens com marcador silmarillion. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador silmarillion. Mostrar todas as postagens

domingo, 5 de janeiro de 2014

[LoLz] resumindo o Silmarillion

Quem já passou um tempo comigo sabe que apesar de ser muito fã do trabalho do Professor Tolkien - que fez aniversário de 122 anos de existência nesse dia 03/01 - não levo muito a sério o universo de Arda. CALMA LÁ BEEEEEEESHA porque é... eu não levo. Sim, pode acender as fogueiras, iluminar as tochas, pegar os ancinhos e as foices, camponeses, quando ao assunto é levar a sério universos inteiros medievais o Lolz sempre prevalecerá.

*sons raivosos de tradicionalistas Tolkiendili everywhere*

Ser herege nesse ponto (E ainda mais com a pessoa que mais me inspirou a escrever nesse mundo) me faz ter coragem de praticar certas heresias. Não, não há detrimento do material original, amo as obras do Professor, mais do que tudo que já li - e Silmarillion é a minha Personal Bible, se tou com a mente confusa e as ideias erradas na cuca recorro a ela e não ao livro mais vendido no mundo.

Razões para zoar com algo que respeito, amo e tenho condições de dizer: "É, esse livro mudou a minha vida"? Sei lá. A vida já é difícil aqui no mundo real e lá nos livros também, por que não fazer piadinha infame pra melhorar um pouco o humor?
(RU feckin' srs?! Silmarillion é tragédia grega de começo ao fim! Nada de final feliz! Senhor dos Anéis também não é lindo e às mil maravilhas e tenho as desconfianças que O Hobbit deu uma atenuada na melancolia com narrativa infanto-juvenil, mas mesmo assim? Matar o dragão, ganhar o tesouro e voltar são e salvo pra casa não deixou o Bilbo feliz, feliz mesmo de felicidade alcançada.)

Então fazer o Lolz em Arda é um mecanismo de defesa para não entrar em comatose melancólica pela seriedade da vida, Universo e tudo mais ali contida. Algumas obras de Tolkien foram escritas em circunstâncias dolorosas, outras em uma profusão literária para que ele nunca conseguisse de fato juntar tudo e publicar (imagina ter um universo tão vasto e escrever por décadas, mas não conseguir compilar?! É frustrante!) - O Silmarillion na verdade é um grande caderno de rascunho que o filho dele fez o favor de tentar decifrar e colocar em ordem e mesmo assim... bem... é confuso. Rir é melhor que chorar gente, então aproveitem o Lolz enquanto ele é feito com a proposta de tirar sorrisos e gargalhadas boas (E por que não aguçar a curiosidade das pessoas sobre?) ao invés de denegrir o assunto tratado.

Tá, tou enrolando demais. A ideia veio de um post no Facebook sobre resumir O Silmarillion em um vídeo de 7 minutos e aí veio o Vanderlei dar a ideia errada e saiu esse trem aí. Essa sou eu tentando resumir o livro mais awesome do Professor de forma bem didática pra garotada:

sábado, 14 de janeiro de 2012

Silmarillion por R$ 19,90?

A Leitura – única rede de Livraria e Suprimentos que existe nesse fim de mundo mineiro – fez o favor de abaixar os preços dos Livros Infantis e nos agraciar com clássicos dos Irmãos Grimm e da Literatura Infantil com preços abaixo de R$19,90. O Hobbit estava lá em um preço modesto de R$ 17,90 ao lado da Saga Percy Jackson e Alice de Lewis Carroll e O Pequeno Príncipe de St. Exupéry. Mas encontrar o Silmarillion na 4ª edição da Martins Fontes por R$ 19,90 é que me fez pular em círculos segurando o livro e repetindo: “Obrigada Eru por um sinal!! Obrigada!!

Mas como todos os Noldor são desconfiados e precavidos por natureza, questionei o porquê de justamente Silmarillion estar ali na estante de Literatura Infantil… Okaaaaaaay a Bíblia dos Elfos não deveria estar exatamente ali. A não ser que crianças tenham apetite para ler uma narrativa épica, longa e bem detalhada. Elas têm?

O mais engraçado foi ir na Literatura Estrangeira e ver duas coisas interessantes: Norah Roberts com uma Trilogia do Círculo (Todo mundo fazendo isso eeeeeita!), primeiro livro chamado A Cruz de Morrigan – parecia interessante realmente, mas lerei os reviews antes de comprar e me arrepender de matar uma árvore para produzir um livro tão bonito na capa e no miolo – eeeeee a coisa mais LoLz e absurda que se possa encontrar em uma livraria em qualquer parte do mundo: Stephanie Meyer ao lado de Anne Rice…

É… Eu tentei tirar foto disso, mas a vendedora estava respirando em meu cangote e não foi possível registrar essa puta falta de sacanagem bem ali na estante. Agora que acho que foi um desaforo maior colocar Saga Crepúsculo ao lado de livros como Entrevista com o Vampiro, Vampiro Lestat e A Hora das Bruxas (Que não estava em promoção caso queiram saber x____x foi uma bela facada no rim ao ler R$ 59,90 só pelo livro II), isso foi.

Ou burrice de quem repõe as prateleiras já que se pensarmos que o índice das estantes é em ordem de sobrenome do autor, desde quando “M” fica do lado de “R”. Alguém esqueceu o alfabeto!! Oooooooou alguém pensou do modo mais babaquinha possível: “É livro de vampiro e essas porcariadas? Vou botar tudo junto pra esse povo maloqueiro achar mais rápido…

Mas a prateleira de auto-ajuda e Chico Xavier estava bem ajeitadinha… Paulo Coelho com direito a estante própria… Nisso eles capricham… Quem mexeu no meu queijo? Quem furou o meu queijo? Quem cortou o meu queijo? O Monge e o executivo, o Monge e o yuppie, o Monge e o dono da Microsoft (Que não é mais o Bill Gates yaaaaaayness!!).

¬¬”

Ainda bem que levei meu Silmarillion. O meu antigo tá todo rabiscado, assinalado, com a capa amassada e com uma versão muito frutinha do Morgoth usando a coroa com as Silmaril – e acabo de me esquecer como é o plural dos brilhinhos do tio-tarado-pervertido-por-elfos Fëanor *se morre*