Pesquisando

segunda-feira, 16 de março de 2015

Síndrome de cottard disfarçada

Não me sinto mais a vontade com meu próprio corpo.
Tem esse feeling de meio de madrugada que tá me perseguindo faz tempo. As horas de vigília que se arrastam após.

Creio que certas palavras jamais vão sair do meu subconsciente e pelo jeito todo esforço de me sentir menos esquisita (e babaca) pode ter sido em vão. A incerteza da situação também vai remoendo as beiradas já danificadas e quando vou analisar se está tudo bem e em ordem, parece um pouco de síndrome de Cottard - aquela que as pessoas afetadas sentem que estão mortas, parecendo zumbi com as funções vitais anuladas.

Não sei se agradeço ou se amaldiçoo, de qualquer forma, a vida segue. Espero que isso vá embora algum dia, ou pelo menos adormeça, uma bela cãibra de consciência.