Pesquisando

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Poesias Nada Convencionais - Castidade

[originalmente escrita em 21:45 14/12/2007]

CASTIDADE.

Olha que coisa engraçada!
Descobri isso hoje
É um tipo de sentimento novo
Meio que aquela sensação de início de jogo

Se eu pudesse voar um tiquinho
Se eu tivesse asas que nem anjinho
Taria indo direto pros seus braços
Perdia meu medo só pelos seus abraços
Disputaria o trânsito com avião e passarinho
Jogaria até aquele medo de ser tão sozinho
Até ficar de pernas pro ar

O cheirinho de café da tarde
O frio geladinho sem alarde
A música perfeita pra esse momento
A música que atende aos meus tormentos
Ai se eu tivesse asas de anjinho!

Se eu tivesse asas de anjinho
Não usaria auréola
Porque o que tenho em mente no instantinho
Quer ver vc abrindo a porta de sua casa
E vai cobrir mais pecados que minhas bençãos

Ai se eu tivesse asas de passarinho!
Assim não me obrigavam a ser anjinho
Prezar pela castidade divina alheia
Nunca desejar teu corpo no meu