Pesquisando

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Poesias Nada Convencionais - Mal Perseverança

[originalmente escrita em 20:57 9/12/2007]

MAL PERSEVERANÇA.

O tênis continua furado do lado debaixo
As crianças continuam brincando
Uma vida passa por mim
E eu mal percebo.
Mal percebo.

A luz do quarto continua acesa
Uma viva alma passa pela rua deserta
Um cachorro late no meio da madrugada
E eu mal percebo
Mal percebo

O papel continua em branco
O punho se recusa a correr pelas linhas
Um tinteiro vazio deveria me aguardar
E eu mal percebo
Mal percebo

O telefone está mudo, como sempre
Eu desligo o meu coração como um interruptor
Como uma conexão mal feita em alguma tomada
Como alguém que aperta o botão "Off"
Eu mal percebo no mal que faço.

Mal percebo que há alguém lá fora
Mesmo alguém que bate lá fora
Mesmo que o mesmo alguém grite lá fora
Eu mal percebo

Mal perceber não quer dizer mal sentir
É um organismo de defesa involuntário
Produzida no hipotálamo
Abaixo da consciência
Acima da garganta.
$(function(){$.fn.scrollToTop=function(){$(this).hide().removeAttr("href");if($(window).scrollTop()!="0"){$(this).fadeIn("slow")}var scrollDiv=$(this);$(window).scroll(function(){if($(window).scrollTop()=="0"){$(scrollDiv).fadeOut("slow")}else{$(scrollDiv).fadeIn("slow")}});$(this).click(function(){$("html, body").animate({scrollTop:0},"slow")})}}); $(function() { $("#toTop").scrollToTop(); });