Pesquisando

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Poesias Nada Convencionais - Loja interditada do Bom Senso

[originalmente escrita em 12:57 26/11/2007]

LOJA INTERDITADA DO BOM SENSO.

Os poemas de amor se esconderam
No canto mais estranho de um coração mudo
Acho que não queriam mais ser cantados
Ou porque o Eu-lírico sempre foi inseguro

As bonitas palavras antes do meio dia
Estas foram pro lado esquerdo do corredor
Foram substituídas nas prateleiras por questões científicas
E condensadas no balcão de "índice de espera"

O belo pôr-do-sol, sim o belo espetáculo da tarde
Não tem mais graça.
O barulhinho de chuva na calha na noite fria
Sem graceira danada.
As nuvenzinhas formando carneirinhos e patos
Graça nenhuma.

Apenas as velhas palavras bonitas e os poemas de amor escondidos
Em algum canto estranho do coração mudo
Tem graça alguma.
Foram pagos à prestação de algumas lágrimas.
36 meses de indecisão.
Carnêzinho das Lojas mais baratas que tem
$(function(){$.fn.scrollToTop=function(){$(this).hide().removeAttr("href");if($(window).scrollTop()!="0"){$(this).fadeIn("slow")}var scrollDiv=$(this);$(window).scroll(function(){if($(window).scrollTop()=="0"){$(scrollDiv).fadeOut("slow")}else{$(scrollDiv).fadeIn("slow")}});$(this).click(function(){$("html, body").animate({scrollTop:0},"slow")})}}); $(function() { $("#toTop").scrollToTop(); });