Pesquisando

quinta-feira, 14 de março de 2013

Fanfiction - a ficção de fã

[Texto originalmente produzido e publicado para o blog Nerdivinas no dia 02 de março de 2013. Reprodução total do conteúdo com permissão da autora]


Para quem está ligado nos desdobramentos das interwebs sabe muito bem o que é uma ou um fanfiction - ficção de fã. O/a fanfiction é literatura feita de fãs para fãs. Consiste em histórias de longa ou curta duração, postadas exclusivamente na internet para fins de entretenimento. Apesar de usar o enredo de material protegido por terceiros, o/a fanfiction explora o melhor dos fãs: a criatividade em criar e recriar a história já feita.

Sabe quando você termina de assistir um episódio do sua série/filme/etc favorito e não gostou do final? Gostou do final e está empolgado com teorias além do roteiro original? Mais e mais empolgado ainda que gostaria de ver tal personagem do série/filme/etc contracenar ficcionalmente com outro personagem de outro cenário que você curte? Pois então, estamos falando disso!




A nação de fanficwriters - como se denominam os escritores de fanfics, não há termo em português ainda e fanfiqueiro fica um bocado estranho - se concentra em fóruns, sites especializado ou blogs para divulgar o máximo possível de seu amor pelo universo que decidiu reescrever. O legal de se escrever e ler fanfiction é o movimento de troca que autor e leitor tem. Praticamente não há limites entre um e outro, a interação do autor e leitor é quase instantânea, já que entender o que se passa na fanfic é entender o que aconteceu na série/filme/etc original. O leitor pode opinar constantemente sob a escrita do autor, assim como influenciar os rumos da história já modificada do original, logo um emaranhados de enredos que é interessante em se perder.

O começo dessa prática livre de literatura é desde muito tempo, já que os fanzines criados por escritores amadores no século 19 e começo do século 20 eram recheados de "cópias" de histórias já conhecidas, como contos dos irmãos Grimm, clássicos universais e literatura de sucesso na época. Muitas obras que conhecemos hoje como Sherlock Holmes de Sir Arthur Conan Doyle e Cthulhu Mythos de H.P. Lovecraft foram alimentadas por muitas produções amadoras de fãs. Nos anos 70 os fãs de ficção-científica tornaram o gênero popular pelo fato de não se satisfazerem apenas com o canônico, partindo para universos paralelos e inexplorados de seus personagens favoritos.

Como boa fonte de diversão e construção literária, o fanfiction segue algumas regrinhas base que o diferencia de outras produções literárias:

  • costumam ser um universo paralelo do cenário original. Algo que não foi escrito, dito ou muito menos autorizado pelo autor detentor dos direitos autorais;
  • costumam ter "rating" ou classificação etária, porque bem... Regra 34 da internet, não queremos assustar nossas crianças. As classificações são estabelecidas pelo lugar em que se posta a fanfic;
  • costumam ter os "pairings" ou parzinhos românticos. Isso é relativo ao cenário tratado e aos personagens. Você vai encontrar de tudo em fanfiction, mesmo esquema da Regra 34.

Há também os crossovers! Os lindos, maravilhosos e apetitosos crossovers! Não saberia como traduzir essa palavra, mas é literalmente você juntar dois ou mais cenários em um só fanfic. Por exemplo: Era uma vez um garoto chamado Luke Skywalker que caiu com sua nave em um planeta chamado Arda, no continente da Terra-média, encontrou 9 aventureiros e foi auxiliá-los a jogar um bendito de um anel mágico em um lugar distante e perigoso chamado Nárnia. Sim, confuso, mas extremamente criativo caso o autor souber mexer muito bem com os elementos do crossover de cenários. Os mais comuns na atualidade são do seriado Doctor Who e Sherlock - por motivos óbvios já que os dois seriados são produzidos pela mesma emissora de TV britânica e por ter em seu elenco atores que já participaram das duas séries ao mesmo tempo - o filme Os Vingadores com outros da Marvel e DC Universe ou Pokemon com Naruto.
Universo Expandido de Star Wars seria um exemplo clássico de um vasto material produzido com as mesmas características do fanfiction, mas que o Sr. Lucas foi esperto em se apropriar e assinar no final para ganhar mais dinheiro com a franquia.

O problema em se produzir material assim é a reação dos autores originais, a maioria não faz ideia do que seja fanfiction ou se interessam em pesquisar o que seus fãs estão escrevendo além de suas expectativas, mas alguns autores se preocupam com a questão de copyright e roubo de propriedade intelectual - o que é claramente um exagero em uma Era em que a forma de compartilhamento de arquivos está sendo questionada. A famosa escritora Anne Rice - autora das Crônicas Vampirescas - foi um caso em especial sobre o/a fanfiction: ela proibiu os fãs de produzirem e publicarem fanfics sobre o seu cenário. Esse episódio causou uma repercussão na internet. George R.R. Martin de Guerra dos Tronos também desaprova esse tipo de produção. Já J.K. Rowling de Harry Potter opinou a favor sobre a produção de fanfiction pelos fãs:

"I've read some of it... I find it very flattering that people love the characters that much."
- J.K. Rowling on Harry Potter fanfiction that can be found via the Internet. Fall 2000.

Polêmico ou não, o/a fanfiction é uma forma interessante de se praticar a escrita e leitura livre e divertida que qualquer nerd gosta de fazer de seus assuntos favoritos. Mas lembre-se, não há restrição de assuntos nas fanfictions, então é bom você estar preparado psicologicamente para se deparar com certos... absurdos...



Falando em absurdo, uma pesquisa mais prolongada sobre fanfiction na internet mostra que a famosa trilogia de livros Cinquentas Tons de Cinza de E.L. James foi uma adaptação de uma fanfiction sobre Crepúsculo que ela escreveu em 2010 sob o pseudônimo "Snowqueens Icedragon"... Como disse, é esperar de tudo vindo desse tipo de literatura internética.

Visite o maior site de fanfiction do Universo: http://www.fanfiction.net
Ou o nosso representante tupiniquim que também faz muito sucesso: http://fanfiction.com.br/
$(function(){$.fn.scrollToTop=function(){$(this).hide().removeAttr("href");if($(window).scrollTop()!="0"){$(this).fadeIn("slow")}var scrollDiv=$(this);$(window).scroll(function(){if($(window).scrollTop()=="0"){$(scrollDiv).fadeOut("slow")}else{$(scrollDiv).fadeIn("slow")}});$(this).click(function(){$("html, body").animate({scrollTop:0},"slow")})}}); $(function() { $("#toTop").scrollToTop(); });