Pesquisando

Mostrando postagens com marcador Walter. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Walter. Mostrar todas as postagens

domingo, 12 de fevereiro de 2017

bruxometria

Sonhos estranhos com detalhes de ontem:
Zé Bunito (pseudo siamês que tenho) se perde em uma fazenda meio assim estilo Tim Burton, extremamente sombria e de curvas em lugares nada a ver, mas de um colorido de machucar a retina.

Ele bebeu água de um riacho que o transformou em dezenas de versões dele mesmo, só que pequeninho e em cores mais escandalosas ainda. Lá vou eu caçar todos os Walteres (esse é o nome oficial do gato, mas ele só atende com Zé) e derrotar os contratempos que a fazenda tem pra me fazer perder eles de vista.

Numa dessas de ajuntar a gataiada arco íris perto de um celeiro (Ou era moinho? Dava pra fazer piada com Dom Quixote de boas) uma nuvem roxa carregada de raios e soando trovões chega, estaciona ali e já sei que é treta na certa. Peço pra gataiada se esconder no celeiro e ficarem quietinhos pra despistar seja lá o que vem na nuvem.

Desce uma senhora em vestimentas mais que espalhafatosas a la feiticeira do Castelo Rátimbum, pega um dos Walteres antes dele se esconder e está pronta pra abrir a boca para devorar o coitado.

Eu, babaca no meu modo, grito:
"Cê vai cumê meus gato non, tia! Pego meu breguete, taco na tua coisa, e te penabundeio!" - Sim, essa é uma das frases mais emblematicas que consegui dizer em sonho.

A tia devoradora bota o mini Walter no chão, cruza os bracinhos na frente só busto avantajado e responde:
"Tá achando que minha cara é o quê?! Eu faço contagem de gatos em periódicos!! Nem quero saber de conteúdo de qualidade ou relevância científica do tema, faço bruxometria."

Rio tanto, mas tanto que o sonho se interrompe comigo acordando gargalhando na cama com essa de bruxometria.

Juro pra vocês que não comi nada estranho, não usei dorgas e estava devidamente hidratada na hora de dormir.

Bruxometria, é esses trem biblioteconômico me perturbando até nessas horas. Ah! Zé Bunito está bem, no último sono ali na sala,nenhum spell louco ou damage.

Voltando a estagiar com Morfeu, com licença.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Zé Walter entalado


Apenas para deixar registrado:

Hoje, às 8h17 da manhã fui resgatar um gato pseudo-siames entalado na estante de livros.
O dito gato ficou com metade do corpo pra fora das separações da estante - que na verdade é um estrado de cama de solteiro - impossibilitado de sair na hora do nomnomz.

O que o gato não esperava era que eu no impulso iria tirar fotos dele nessa situação, maaaaaaaas recorri ao meu bom senso e não tirei. Vergonha alheia, basta a minha.

O gato estava bem p*** quando foi retirado do entalamento, mas comeu tranquilamente e reassumiu o posto debaixo do sofá com um ar compenetrado e desconfiado.

Tal fato me deu crise de riso no meio do busão. E provavelmente dará mais pro resto do dia.

Atenciosamente,

xx Gateira tr0ll xx

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

hibernação forçada

Capotation, for all lolcats's nation
Decidimos por unanimidade - o gato, a minion aqui e todo o resto dos amigos imaginários sobraram - a fazer hora extra lá no estágio com Morfeu e ver no que ia dar.

Depois de maratona acordada durante a madrugada, com cochilos de 20 minutos para manter o ritmo dos trabalhos finais - e obviamente irritando muito o felino que me acompanha, a criatura não parava um minuto - a abominação em forma de documento word foi enviada e a outra parte deixada de lado por saber que não ia adiantar muito botar mais outra madrugada.

O resultado foi isso aí ao lado.

Os pesadelos se amenizam durante o dia, o que me pergunto wtf deve ser isso, consequência por saber que vou dormir, logo ter sonho ruim ou puramente conexão não-estabelecida com o servidor?

Coisas decididas em tribuna lá no Sonhar:

1 - pedir demissão logo e voar na agência de empregos do MacPhisto (aplicar trote pra Casa Branca é o que há);
2 - preciso de lasanha com muito queijo;
3 - cumprir as deadlines impossíveis que faço dentro da minha cabeça (mesmo as coisas que não me interessem muito);
4 - se vier treta, enfrenta a treta com a menor ansiedade possível (Because all the tretas vem juntinhas, uma atrás da outra pra servir de apoio pra pilha de ansiedade pré-existente);
5 - não fazer maratona de cochilos na madrugada;
6 - lembrar constantemente que não importa o que acontecer, a vida continua.

Porque eu dormi cerca de 18 horas, com intervalos de levantar, ir ao banheiro, checar comida do gato, checar minha comida, tagarelar nonsense wif Momz e ao olhar lá pra fora, yep: a vida continua independente se tou lúcida ou consciente.

É reconfortante isso.

Ps: Midnight is where the day begins. Hoje vai ser um longo dia.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Pipoca é Walter

Confirmadíssimo.
Os baguinhos apareceram, é Pipoco... oooooops Walter.

Coisas felinas.