Pesquisando

Mostrando postagens com marcador signos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador signos. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

[bibliotequices] signos biblioteconomísticos

Quem me conhece sabe o quanto respeito autoridade alheia de um modo bem peculiar. E que sarcasmo é meu combustível since 1986, logo sacanear com os patronos da Biblioteconomia, livro e afins é default para eu levar essa área a sério.
(PARADOOOOOOOXO!!)


Os malako podem ter feito um ótimo trabalho, mas não quer dizer que tenho que concordar com eles, né non monamu?

E já que a Astrologia é algo que as Ciências não aceitam bem como sendo algo real, palpável e experimentável, bora assuntar sobre? E julgar o livro pela capa é sempre bem vindo aqui nas estantes da vida *wink wink*

Dewey, Melvil. Modafóca irritante Dewey do nosso coração bibliotequêro. Sagitário.

Então, Dewey... (Fonte: Pinterest)
Pra um cara que tem epifania de organizar um manual maquiavélico como a CDD durante um sermão de pastor, o cara tava muito comprometido com seu espiritual na hora. E não vamos esquecer da despensa da mamãe quando criança! O mané já tinha fama de controlador desde pequeno.
(E também de machista, ignorante e cristão extremista, então bora mudar de assunto...)

Vamos ao carinha mais fofo do Zodíaco biblioteconomístico - sacaram, Biblioteconomia e místico? Hein? Hein? - Henrique La Fontaine, taurino. Fofuxo do caramba. Mesmo sendo jurista, aposto que enquanto o index universal tava sendo produzido freneticamente pelo workaholic do Paul Otlet, era ele que serenamente botava música pra tocar, trazia café, bolo, lanche, cobria o Paulinho com cobertor e de vez em quando aumentava o tom de voz e lascava as verdades doloridas pro Zé da CDU parar um pouco e relaxar.

Ou se lembrar que virginiano não precisa consertar o mundo pra ser útil na Ciência Informação.

Paulinho Otlet - que pelo jeito não usava roupas de ponta de estoque por razões óbvias, o cara era advogado, rycoh e famoso - era o modafóca workaholic, estressado, neurado e com princípios pautados em alguma manifestação de TOC.

Eu delibero que era alfabético e índices. Mas posso estar projetando a minha virginianice na dele do século 19. Paulinho era o cara que acordava no meio da noite com uma ideia absurda de que símbolos fariam um trabalho melhor de identificação em estantes na recuperação da informação que as tabelas malditas do antecessor. É provável também que Paulinho tinha um crush pelo Dewey, mas como ele era americano, chato pra baraleo e sagitariano, NOPE, não rolaria clima.

(Mas shippo total combo Virgo + Taurus, é meu perfect match romântico, meloso, sem noção e com dinâmica Dom/sub que é tão fofa nessa vida de controladoria de corpos)

Imagina? Tabela ferrada da 800 sendo feita com as inúmeras combinações, símbolos de marcação, notações de autor depois, aquele número de chamada enorme que universitário estremece só de ver. Paulinho levanta sua papelada da CDU em vitória após trocentas horas movido a bolinhos e chá belga (é chá preto com um pequeno pedaço de chocolate amargo btw), voz rouca de tanto falar consigo mesmo e em uma epifania grita:

"Para tudo, para tudoooooooo!!! E se a gente mandasse essas tabelas auxiliares pros inferno e simplificar com sinalização através de pontuação?! Tipo nóis não tá copiando o Zé Mel, mas tamos fazendo mais graficamente! Olha que lindo esse número aqui? *insira aqui um número enorme para assunto totalmente nada a ver* Super lindão!!"

"Paul, Dewey vai chiar... A gente pegou o Manual dele pra testar, não pra copiar descaradamente... "

*Paulinho ofendido segurando sua papelada com carinho perto dos peitinhos*

"Cê tá falando que meu trabalho árduo é cópia daquele trambolho de 4 volumes e que é horrível de manusear?!" (virginiane trait: autovitimismo)

"Não, não é isso... "

"Tá insinuando que além de cópia, sou incompetente o bastante para não fazer algo digno de reconhecimento universal?!" (virginiane trait: paranoia excessiva)

" Paulinho. Já pra cama, vai!" (Taurine trait: sabe mandar e botar ordem no pardieiro muito bem)

"Sim, senhor."

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Descobertas!!

Gente, eu descobri pra que servem engenheiros da produção!!
Alimentar a confusão no meu Plutão em Escorpião!!
Rimou!

(de resto não faço a mínima ideia do que eles fazem da vida.)

domingo, 4 de setembro de 2016

mapa astral dessa pessoinha aqui

Já que a tendência é saber mais sobre o mapa astral do que a cor favorita ou o sabor de sorvete favorito (Sou bem desse tipinho antiquado pelo jeito), fui verificar com que cargas d'água - e pun intented com essa chuva torrencial aqui nas imediações - o meu mapa astral era.

Meu interesse por astrologia não é tanto devido a divergências no discurso. Já tratei disso aqui nessa postagem e volto a repetir que pode ser muito bem uma forma de categorização baseada em repetição de estereótipos, ou pode ser verdade. Entre o verdadeiro ou falso, fico com a dúvida. Acredito, mas desconfiando, sempre.

Há também o problema de memória seletiva que meu cérebro costuma fazer quando apreendo informações vindas do mundo mais intangível do ocultismo. o que eu sabia de LeNormande foi pro limbo cósmico, o pouco da metodologia de tarot nem mais lembro (boas razões, obrigade, nunca mais) e o que mais ficou fixado mesmo foi a parte de chakras, pois foi o que mais tentei usar durante os meses de molho. Os sonhos nem mais tento fazer esforço, eles não costumam aparecer tão detalhados mais, mas continuo a interpretar bem o trem de energias pra até não me deixar cair no vórtice da Banalidade.

Até porque a reação que as pessoas têm quando falo que sou de Virgem é hilária. Todos pensam que sou control freak (tá, com minhas atitudes sim, quem vai pagar as contas, receber ordem de prisão ou outras coisitas a mais sou eu), crítica ao extremo (ooooops), tenho T.O.C. (quem já entrou no meu quarto sabe o quão isso é mentira) e possivelmente vou surtar a qualquer momento por questões mínimas (nope, se é pra surtar é com a metafísica, isso sim merece ser digno de dramaticidade). Se fosse ESSE o caso.

O caso aqui é que eu não entendo essa linguagem, então fico só com comparações aproximadas de vivências. Por exemplo, vivência familiar, de amigos, de colegas de trabalho. Mas sinceramente não dou muito crédito pra isso pra estabelecer uma percepção de personalidades.

E aí entra a diferença de metodologias: recorrer ao mapa astral da pessoa dá um embasamento quase milenar para as atitudes da pessoa (Oi? É isso mesmo produção?), já eu prefiro perguntar qual a cor e o sorvete favorito. Alguém que ama verde e gosta de sorvete de morango significa uma porção de coisas pra mim.

Fiz esse trem aqui: Astro Cafeastrology

Qual é o problema de ter ascendente em Aquário? É um crime? O Vênus em Libra que confundi com o Plutão em Escorpião (Mas que por definição parecem a mesma coisa, mas anyways, explica o negócio de ter interesse em coisas nada convencionais e já ter sido admoestada pelo meu modo de apreciar sexualmente as pessoas com quem me relacionei) equivale a alguma coisa bem assim drástica? Librianes que conheci ou são super zen, adoram festa e animar as pessoas ou são totalmente da pá virada e ciumentos. Não consigo me ver em nenhum desses lugares. É pra interpretar assim? Ou tem um manual? Quede então?

A tr0llice é por ter Lua em Leão? É isso? Não é por conta de ter que usar o sarcasmo e fazer piadinha infame pra eu me sentir mais segura ao redor das pessoas nem por autodefesa? Dizem que Leão é líder natural, e super dramático (Sim, teoria comprovada dentro da família), mas como isso funciona quando é uma pessoa que se sente mais à vontade no backstage e tem pavor de dramalhamice?

Nem sabia que Lilith tava no meio, não sei o que os números significam - então nem irei opinar - o Mercúrio (Que por default é o deus grego da trapaça e das viagens, mas também o cara que simbolizava a esperteza, não raciocínio) em Virgo pode até ser alguma coisa, mas ainda sim me sinto bem por fora.

Então para a posteridade, quando estiver voltando a ler esse registro, dê para fazer a comparação que o mapa astral fazia sentido. Ou não. Tudo isso pra mim parece grego. Sério.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

astrologia, linguagem, AD e outros baratos aí

As convivências na Biblioteconomia são sempre uma caixinha de surpresas - tipo Joseph Klimber e talz - e conversar com colegas sobre algo altamente fora da estrutura acadêmica como astrologia é deveras interessante. Porque a posição das estrelas no momento em que você nasceu vai traçar toda a trajetória da sua vida. 

Assim como a Meritocracia.
Sim, isso foi uma piada sem graça, eu vejo mais lógica em astrologia do que na Meritocracia.

As categorizações que são as mais fantásticas, desde o ariano territorialista e possessivo, taurino sedutor e teimoso, câncer supermelodramatico e de família, geminiano duas caras difícil de entender, leonino vaidoso e audacioso, virginiano crítico e totalmente rude, libriano indeciso e voto de minerva, escorpiniano misterioso e criptográfico, sagitariano aventureiro e inocente, capricorniano sem rédeas e dono do próprio nariz, aquariano porra louca porque YOLO e piscinianos viajões na maionese e intuitivos.

Como dito em postagem anterior, as categorizações me matam, mas ver um pedaço de folha e dizer que meu mapa astral pode ser uma fonte primária para dissertar sobre minha personalidade, também é divertido e penoso. Parece Psicologia.


A gente precisa de categorizações pra viver, mas quando isso atrapalha a percepção pelo Outro e a nossa percepção de vida, é melhor jogar essa teoria fora. Pra ser fiodaputinha não precisa ir muito longe nas estrelas, galeris. Eu com certeza não dou razão pro meu signo (Virgem) por acaso, há todo um aparato psicológico, sociológico, histórico para que essas percepções padronizadas de signos possam realmente fazer algum sentido. Porque às vezes fazem e mesmo eu desacreditando na powha do empirismo, devo tirar o chapéu para a "coincidência das coisas".


Porque não é possível toda pessoa que conheço nascida em dia tal, que coincide com a casa tal ter o comportamento tal conforme a tal pré-disposição do signo. Difícil de engolir né? Faz o teste, verifique o signo de cada pessoa que você conhece bem, enquadre o comportamento da criatura no estereótipo do signo e voilá!

Temos uma formação discursiva prontinha por uma ideologia base: que somos regidos por posições dos astros e ainda mais, essas posições são tão pré-determinadas que nos faz desconfiar que existe uma força ou inteligência maior para orquestrar isso sem a gente perceber.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

direto do passarinho azul

terça-feira, 20 de maio de 2014

o que aprendi hoje - virgem com ascendente em aquário

[extraído do Natal Chart Report feito no site astro.cafeastrology.com - o aconselhável seria fazer com um estudioso do assunto, mas estou comparando notas com a fadinha wicca do meu coração]

Virgo ascendant Aquarius
Ascendant in Aquarius
How unique and original Aquarius rising natives come across! These individuals are just that -- individuals, and they won't let you forget that fact. Often turned to for advice, these natives possess intellectual poise and savvy. They often are curious, and quite learned, in both science and metaphysics--anything that involves advancement of the human race holds much appeal. It's hard to shock an Aquarius rising. They've seen it all, or at least want you to think they have. In fact, they often enjoy shocking others. Not that they are flamboyant by nature, but they do like to, albeit quietly, get a rise out of others. Some natives born with Aquarius on their Ascendant can be quietly provocative and irreverent. Most people with this Ascendant are quite friendly and likable. Their personality quirks generally go over quite well with others. They generally give others quite a bit of freedom--accepting, as a rule, people from all walks of life as equals. And, their somewhat cool and detached curiosity about all that goes on around them appeals to most.

Curiously, Aquarius rising people can be a little standoffish while also coming across as humanitarian and kind. Often labeled as independent and original children, Aquarius rising natives often feel a little "different" or "special" throughout life. They often feel like they are on the outside looking in, and their ability to observe and deduce is often uncanny. They're also adept at getting things to work, even when the parts that make up the whole seem like a puzzle with unusual pieces--especially when it comes to groups of people. This sets them apart as managers and team leaders. The Ascendant often reveals physical mannerisms and even choice of dress, as it shows how people present themselves to the world. With Aquarius here, natives sometimes have a quirkiness to their manner, and some dress in a slightly offbeat manner--not enough to make them stand out like a sore thumb, but just enough to express their original temperament.
Because these people seem so open to new ideas, it may be surprising when you encounter their decidedly stubborn streak. Aquarius is a fixed sign, after all. The ascendant sign shows how individuals react to new situations, and with Aquarius rising, there can be a resistance to change that seems to belie the native's generally progressive nature. There's a distinct inflexibility with Aquarian rising people, and, sometimes, a tendency to want to force their opinions on others. With their eye to the future of mankind as a whole, some people born with an Aquarius Ascendant overlook the more personal needs of the people closest to them. They are often attracted to partners who possess self-confidence and ardor.

===xxx===
Resumo: Trolls, desajustados sociais, flâneurs e prepotente e arrogante (E acha que tem razão a toda instante, o quê?! Vá tomar Benzetacil! *empolga* *sai cantando Mc Serginho*)