Pesquisando

Mostrando postagens com marcador espiritualismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador espiritualismo. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

[video] Clocks por Coldplay

Acordei do Carnaval com essa música na cabeça. 2 dias inteiros de intensa experiência com o ser humano em estado eufórico dos foliões abençoados por Loki, creio que ter uma pausa para o cérebro para depois cair uma ficha básica de normalidade faz bem pra essa escriba que vos narra.


Essa música em especial me chamou atenção - além de estar grudada na minha cabeça - por conta da letra e o andamento. Não é uma das minhas favoritas do Coldplay (E não escuto eles por motivos, because...), mas o negócio de se movimentar quando ela começa a tocar é essencial para acordar as ideias.

The lights go out and I can't be saved
Tides that I tried to swim against
Have brought me down upon my knees
Oh I beg, I beg and plead, singing

Come out of things unsaid
Shoot an apple off my head and a
Trouble that can't be named
A tiger's waiting to be tamed, singing

You are

Confusion never stops
Closing walls and ticking clocks
Gonna come back and take you home
I could not stop that you now know, singing

Come out upon my seas
Cursed missed opportunities
Am I a part of the cure?
Or am I part of the disease? Singing

You are, you are, you are
And nothing else compares
You are

Home, home where I wanted to go


quinta-feira, 21 de maio de 2015

o "santo" é forte - e o vaso aqui ruim de quebrar

Alguém disse full combo DPS/herbalista? 
Larguei de lado algumas coisas que eram essenciais na manutenção da minha cachola, a espiritualidade ficou um pouco em segundo plano quando coloquei o coração na frente (e aí a briga eterna de prioridades nos três sensos), deixei de fazer as rotinas costumeiras por alguma razão besta, mas também nunca me senti obrigada a fazer certas coisas para agradar seja lá quem for que esteja me protegendo nesse mundo maluco aqui.

Durante essa semana ouvi muita gente comentar o quanto foi "sorte", "graças a Deus" e outras atribuições para eu ter saído bem do acidente, implicitamente algumas desas pessoas meio que me empurraram o velho discurso de "Agradece que é mais que sua obrigação!". Isso me deixou um bocado inquieta na verdade.

Alguém me disse uns dias atrás que quando essas coisas aconteciam era pra gente sossegar o facho e ver o que andou se perdendo na pressa de tudo. E foi o que fiz.

É porque quero acreditar que o pior não aconteceu por ter apelado pra Ciência no último instante quando senti a roda bater na minha perna. Usei a gravidade ao meu favor (Não bati a cabeça, não perdi a memória, não morri), as 3 Leis de Newton tudo ao mesmo tempo, segui o reflexo da sinapse da dor imediata - retirei meu pé debaixo da roda a tempo. O fato de ouvir o rapaz da moto quase entrar em desespero por ter me derrubado é que me incomodou, o fato dele ficar chamando o nome da divindade que ele cultua várias vezes também não me deixou segura, são e salva. Alguém ali tinha que manter a compostura e fazer algo, eu só queria que a dor parasse, só queria sair dali, sinceramente, só queria mandar todo mundo shut the hell up e me deixar em paz em um espaço pra sentar e esperar a ambulância. Às vezes manter a calma é mais enervante do que entrar em pânico.
(E olha que entro em pânico por pouca mixaria...)

No Hospital ouvi a tal da "sorte", também os "graças a Deus" (O cristão, sabe?), e quando repliquei que o santo aqui era forte - e quando digo "santo" é um conjunto de coisas inexplicáveis, entidades que devo respeito, me sinto confortável em agradecer por terem me protegido da casualidade que as Leis de Newton podem causar, é santo, é santa, é orixá, é anjo da guarda, é ninfa, é força de antepassados, é tudo - me olharam com uma cara de fuinha. Às vezes esqueço que catolicismo tá ficando pra trás, pegar termos deles pode parecer ofensivo aos ouvidos dos pentecostais.

Sem nem estar concentrada nisso esses dias - porque há outros pormenores chatos que ando batalhando, incluindo os pesadelos que prejudicam a recuperação de XP em paz - acabei deitando a cabeça no travesseiro ontem e pedindo pelamordequemmeprotege pra parar de pensar que o remédio ia fazer meu cérebro virar mingau (O post de ontem tava tão tenso?).


quinta-feira, 23 de abril de 2015

dia de São Jorge

Agora percebo de onde veio o código cavalheiresco absurdo
Escrevi esse post de pesquisa lá no Facebook há 1 ano atrás, mas transcrevendo pra cá:

Hoje é dia dele. Bora falar um tiquim de História?
Faz mal a ninguém...

Jorge de Capadócia - ou como ficou conhecido nos escritos da Igreja, tanto Romana quanto Ortodoxa - foi um soldado romano no século 3 lá na Turquia, de acordo com a tradição do catolicismo. Ele fazia muito bem seu trabalho como cavaleiro e de quebra espalhava a Boa Palavra  (Sabe? A Bíblica?) para quem quisesse ouvir.

O trem da lenda do dragão? Bem, tinha cada coisa estranha antes da Idade Média que não é bom duvidar se não existia esse tipo de bicho... Pode ser metáfora contra o Mal Supremo também, mas acredito piamente que era um dragão (Tipo, dragão mesmo, com asas e escamas e bafejando fogo e talz).

São Jorge é cultuado em quase toda parte do mundo (Até na Rússia!) e acredita-se que aquela manchinha na Lua Cheia é a silhueta do Cavaleiro com seu cavalo e espada, protegendo os meros mortais aqui de qualquer perigo. Ele também faz parte dos 14 Santos Auxiliadores (Santa Bárbara êêê eparrei? e Santa Catarina também estão nesse clube), padroeiro de uma pancada de cidade, dos fazendeiros, do povo Romani, das ovelhas (wat? frank? beeeeeh), dos pastores (bem, agora faz sentido), dos cavaleiros, dos soldados, policiais, ferreiros, escultores, caminhoneiros, dos corintianos (maloquêro, sofredor) e muito mais.

No sincretismo das religiões afro-descendentes - mais especificamente a Umbanda, a que tenho mais afinidade - temos ele como o Orixá Ogum (Senhor da Guerra), mas em Salvador ele é o Orixá Oxóssi (O Caçador).

E tem essa tradição muito awesome no Leste Europeu dizendo que na madrugada pro dia de São Jorge, todos os espíritos maléficos vão dar uma voltinha só pra levar sopapo do santo pra voltarem para onde eles não deveriam ter saído. Quem leu "Drácula" de Bram Stoker vai saber qual é do Leste Europeu pra essa crença.

O legal de pesquisar sobre o sincretismo de St. George por aí e encontrar o Tyr (O Deus Asgardiano ferreiro que fez a coleira para prender eternamente o filhote do Loki,o lobo Fenrir, e acabou perdendo a mão nessa brincadeira? Esse mesmo!) listado <3 - ele poderia também ter a comparação com Siegfried por causa do trem do dragão, maaaaas é uma longa história...


----------------------------

Particularmente ele se tornou uma figura presente nas minhas orações - mesmo não sendo católica e mais ligada com panteões politeístas do que o covencional - sou inclinada a dizer que elas vêm sendo escutadas e muito bem aceitas, principalmente pra proteger o meu corpo contra qualquer mal que venha de fora (e de dentro também).

terça-feira, 20 de maio de 2014

o que aprendi hoje - virgem com ascendente em aquário

[extraído do Natal Chart Report feito no site astro.cafeastrology.com - o aconselhável seria fazer com um estudioso do assunto, mas estou comparando notas com a fadinha wicca do meu coração]

Virgo ascendant Aquarius
Ascendant in Aquarius
How unique and original Aquarius rising natives come across! These individuals are just that -- individuals, and they won't let you forget that fact. Often turned to for advice, these natives possess intellectual poise and savvy. They often are curious, and quite learned, in both science and metaphysics--anything that involves advancement of the human race holds much appeal. It's hard to shock an Aquarius rising. They've seen it all, or at least want you to think they have. In fact, they often enjoy shocking others. Not that they are flamboyant by nature, but they do like to, albeit quietly, get a rise out of others. Some natives born with Aquarius on their Ascendant can be quietly provocative and irreverent. Most people with this Ascendant are quite friendly and likable. Their personality quirks generally go over quite well with others. They generally give others quite a bit of freedom--accepting, as a rule, people from all walks of life as equals. And, their somewhat cool and detached curiosity about all that goes on around them appeals to most.

Curiously, Aquarius rising people can be a little standoffish while also coming across as humanitarian and kind. Often labeled as independent and original children, Aquarius rising natives often feel a little "different" or "special" throughout life. They often feel like they are on the outside looking in, and their ability to observe and deduce is often uncanny. They're also adept at getting things to work, even when the parts that make up the whole seem like a puzzle with unusual pieces--especially when it comes to groups of people. This sets them apart as managers and team leaders. The Ascendant often reveals physical mannerisms and even choice of dress, as it shows how people present themselves to the world. With Aquarius here, natives sometimes have a quirkiness to their manner, and some dress in a slightly offbeat manner--not enough to make them stand out like a sore thumb, but just enough to express their original temperament.
Because these people seem so open to new ideas, it may be surprising when you encounter their decidedly stubborn streak. Aquarius is a fixed sign, after all. The ascendant sign shows how individuals react to new situations, and with Aquarius rising, there can be a resistance to change that seems to belie the native's generally progressive nature. There's a distinct inflexibility with Aquarian rising people, and, sometimes, a tendency to want to force their opinions on others. With their eye to the future of mankind as a whole, some people born with an Aquarius Ascendant overlook the more personal needs of the people closest to them. They are often attracted to partners who possess self-confidence and ardor.

===xxx===
Resumo: Trolls, desajustados sociais, flâneurs e prepotente e arrogante (E acha que tem razão a toda instante, o quê?! Vá tomar Benzetacil! *empolga* *sai cantando Mc Serginho*)

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Your May 2014 Tarot Horoscope (Full Picture Post!) | Veronica Varlow's Danger Dame

Your May 2014 Tarot Horoscope (Full Picture Post!) | Veronica Varlow's Danger Dame


E no Danger Diary da diva Veva:

Virgo – August 23 – September 22: The Fool
Time for a brand new beginning! The Fool is the first card of the deck and one of my favorites. The baby chick has a wild heart, no expectations and ALL adventure. You are PURE POTENTIAL right now – all of your options are open and you are ready for this next chapter in your journey. The sun is shining down on you. Let your heart guide you without limitations.
Question: You know those stories you hear of a person going to the airport with a single bag and deciding where they will go looking at the destinations when they get there? That’s you, Babe. Open your heart to be up for anything. What new life experience, adventure, or new thing do you want to try? The creative roads are open!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

estudos sobre tarot - prólogo

Marca aí, Elza que hoje foi o dia em que decidi estudar Tarot - Marselha pra começar pra não dar nó nos miolos, mas seriamente pensanedo em mudar para outro exótico como o cigano que os Arcanos são tudo virados ao avesso.


A inspiração para isso veio de uma consulta linda com a intitulada caloura ninfa libriana que pacientemente me encaminhou para o interesse gradual pela ciência dessa arte de autoconhecimento.

Se tou maluca?

Sempre estive. Ué, não perceberam?!

Mais divagações sobre os avanços dos estudos vou postando cá. O tarot que vou treinar vai ser baseado nesse aqui Shadowscapes da Stephanie Pui-Mun Law, ilustradora e art-designer awesome que descobri por acaso no Deviantart ao digitar: "changeling" - ela fez ilustrações para alguns suplementos e suspeito que a capa de um suplemento feito especialmente para a Irlanda tenha sido ela. Não tenho o deck, mas salvei os arcanos maiores e imprimi preto e branco mesmo para fazer as anotações que precisar.

Coincidência legal? Wheel of Fortune apareceu pra mim em um local onde mal esperava que aparecesse.
(E é a minha carta favorita, a tríade vem com Wheel of Fortune, Hanged Man e Fool nessa ordem)


domingo, 9 de março de 2014

universalidade nada categórica

Uma das teorias que eu já tinha desde mais nova era que tudo não passava de um teatro enorme e a gente aqui, espectadores mortais e burraldos, só estávamos presenciando os esqeumas do Grande Universo. Problema é quando um desses espectadores descobre que atrás das cortinas tem uma engrenagem tão intrincada e tão bem feita que não tem relojoeiro nesse mundão aí afora que vá explicar como isso foi fabricado.

O legal de se estudar um pouquinho mais sobre espiritualismo e suas manifestaçãoes durante os séculos é que realmente é algo que vem de dentro para fora. Porque se a minha personalidade é de categorizar minuciosamente coisas que existem por aí - inclusive emoções, sensações e itens abstratos - e ter o deslumbre que tudo é uma coisa só é pra fazer explodir el cabezón.

Não que isso seja um problema, só estou amando explorar esse assunto com a visão de que tudo é o mesmo, tudo é uma conjuntura só, tudo é resolvido no mesmo departamento. A energia é única, só se adapta de acordo com o espectador. Enquanto as diversas religiões pregam uma contra as outras, nota-se sutilmente que as correntes que as mantém unidas são as mesmas (Algumas com links fracos né? Assim como tudo), não adianta vir me dizer que o Deus de uma religião é mais forte que a da outra. É tudo a mesma coisa, camarada. Tudo é tudo. se você separar em partidos, não dá certo. Não dá mesmo.

Interpretações separadas são necessárias, para se questionar sempre o modo como o a vida segue, quais são os propósitos e as prioridades, mas não confie naquele que apenas te deixa sentada e diz: "Tá na mão de Deus" ou a que mais me fazia franzir a testa quando era protestante "Deus é fiel". Fiel tem que ser você, pra poder aguentar o tranco sem pirar ou trazer damage pros outros e isso a gente aprende na marra mesmo.

Aí vem alguém e manda: "Não sabia disso, não?" - oh well Juvenal, essa mania besta dos seres humanos de separar as coisas em compartimentos atrapalha bastante o olhar clínico do Universo. E minha criação cristã-judaica me deixou num funil de "Ou é isso ou é o Tormento eterno", ou vai ou vai.

Gimme "Tormento eterno" então, mee ready pra desbravar mais mistérios \o/

[Minha visão de mundo totalmente foi abalada quando percebi que os trejeitos e maneirismos do famoso Zé Pilintra na Gira de Preto-Velho na Umbanda lá do Terreiro do Pai Maneco parecia muito com certo deus asgardiano que tento não me devotar loucamente - não o caricaturizado pelo Hiddles, gente... É o da mitologia nórdica mesmo, que pregava peça em todo mundo, trapaceava no palitinho e ainda por cima fazia com que o universo asgardiano caminhasse numa beleza com os "desvios de rota" que ele costumava colocar os demais deuses. E mais ainda ir pesquisar sobre o camarada e descobrir que Nimb tem dedo nisso.]



domingo, 9 de fevereiro de 2014

Dia de Iemanjá - 02/02/2014


Coisas awesome que acontecem quando você se direciona na vida espiritual são essas que aparecem do nada. Fui saber que o Terreiro do Pai Maneco iria comemorar o dia há um tempinho atrás, mas não sabia como chegar, onde e quando, com um pouco de coragem, cara-de-pau e finalmente entrando no grupo do terreiro consegui as coordenadas e rumei pro Sul da Ilha para comemorar esse dia lindo com o pessoal da gira...

Eles postaram as fotos legais que tiraram por lá aqui nesse link: Clica cá!

Iemanjá tem história marcada na minha vida quando eu era bem pequenininha, desde os avisos de parentes sobre me banhar no Mar pra "limpar" as impurezas, até a própria imagem dela, tão calminha, serena, nesse azul celeste lindo que me atraía quando meu pai nos levava no terreiro que ele frequentava por um bom tempo lá no Capoeiras. O Mar sempre me fascinou de todos os modos, não foi à toa que quando aprendi a nadar antes dos 11 anos, a minha conexão com o mundo ficou mil vezes melhor com a água do que com qualquer outro elemento (E olha que insistem que sou de Terra por ser virginiana, but not...).

Comemorar esse belo dia foi como abrir o Ano de 2014 com a promessa de bons ventos para alcançar o Equilíbrio, mesmo que seja meio tropeçado, debaixo de um Sol escaldante, ainda não acostumada com a sensação de areia debaixo de meus pés. No link as fotos que tirei enquanto estava por lá e por Eru amado do céus de Varda, como é bom rever esse pessoal e compartilhar essa energia boa!
(Aliás, as semelhanças entre Varda e Iemanjá são muuuuuuitas...)

sábado, 23 de novembro de 2013

regras mundanas que atrapalham a evolução (e o entendimento)

Uma das coisas que mais me barra ao estudar qualquer tipo de crença religiosa é quando eles, de certa forma, discursam sobre o corpo. Yep, o corpo, esse físico, saco de ossos e tiras de carne que arrastamos por aí nessa viagem maluca cósmica de aproveitamento de disciplinas em Retorno de Graduado Espiritual - porque vivemos um ciclo em espiral, queridos, trazemos bagagem cultural até de outras vidas para podermos reaproveitar e reinventar algumas coisas aqui.

Das experiências negativas que tive ao tocar nesse assunto - o corpo físico - a questão que mais pegava era a sexualidade envolvida no processo. A eterna premissa do saber sexual, a experimentação física para se achar algum sentido no transcendental sempre feriu alguns dos meus princípios básicos de convivência em Sociedade. Motivos? Tenho vários, só de me sentir 70% culpada quase toda parte de minha vida por desejar sexualmente e emocionalmente o mesmo gênero (palavra feia, muito feia) já me rendeu uma trava psicológica que não vai ser resolvida tão cedo.

Viver em uma cultura judaica-cristã é massante, você é culturalmente engrenado para rejeitar qualquer coisa anormal e imoral da vigência estabelecida, ser homossexual é como sair da norma (Isso quando não apelam pro bom e famoso "pecado divino" que tanto gostam de pautar seus discursos nada solidários e humanitários), como ser tão subversivo ao ponto de quebrar regras que essencialmente o fisiológico deixa transparente que não deveriam ser quebradas. É estafante e se não dizer: desestimulante.